A Terra é plana?

Camille Flammarion, L’Atmosphere: Météorologie Populaire (Paris, 1888), p. 163. Colorized by Susanna J. Magruder.

Muitas sociedades antigas acreditaram que a Terra é plana, incluindo Grécia, Índia e China. Alguns dos pré-socráticos defenderam essa ideia, embora para Pitágoras a Terra fosse esférica. Aristóteles apreciava investigar o mundo material, sem permanecer apenas no plano da abstração, e concordou com a teoria de Pitágoras. Nesse caso, observa-se que tanto a investigação teórica quanto a empírica auxiliaram uma a outra para buscar evidências, como idealmente ocorre.

Desde a época do cristianismo primitivo e ao longo de toda a Idade Média a visão esférica da Terra foi prevalente. É verdade que, assim como na Grécia Antiga e nas mais diferentes civilizações, sempre houve pensadores para contestar a visão estabelecida.

Alguns autores pós-iluministas espalharam o “Mito da Terra Plana”, defendendo ser essa a visão predominante na Idade Média, tendo em vista acusar a época medieval de “anticientífica”. No entanto, temos as mais diversas evidências que sugerem o contrário. O emblema da Ordem dos Cartuxos, por exemplo, fundada em 1084, é uma cruz sobre um globo.

O lema em latim “stat crux dum volvitur orbis” significa: “A Cruz permanece firme conforme a Terra gira”.

Outro exemplo são as ilustrações dos livros de Hildegarda de Bingen (1098–1179) que mostram uma Terra esférica. Hildegarda foi uma polímata medieval (abadessa beneditina, escritora, compositora, filósofa, conhecedora de ciência, incluindo medicina, botânica, zoologia, geologia, etc). Falo mais sobre ela nesse vídeo.

Hildegard von Bingen- ‘Werk Gottes’, 12. “Liber Divinorum Operum” (1163–1173)

Nos dias de hoje possuímos cada vez mais evidências consistentes de que a Terra é, de fato, esférica. Porém, mesmo hoje ainda existem grupos, como “The Flat Earth Society”, que defendem seriamente a teoria da Terra plana. Na seção de FAQ do site, a primeira pergunta é a seguinte:

“Are you serious?”

E a breve e elegante resposta:

“Yes”

Nessa página você poderá encontrar diversas respostas que variam desde teorias conspiratórias até soluções coerentes e interessantes. Eu gostei particularmente de duas.

Uma delas foi a ousadia de afirmar que a teoria da gravidade é simplesmente falsa. Até mesmo as teorias de Einstein não derrubaram muitas das ideias de Newton, sendo que a curvatura do espaço-tempo e a gravidade estariam relacionadas.

No entanto, teorias científicas vão e voltam, como foi observado no caso do geocentrismo e heliocentrismo. Por enquanto, a teoria heliocêntrica continua vigente, definindo o Sol como Axis Mundi (centro do mundo). No livro “Stranger than we can imagine” o autor John Higgs fala sobre as mudanças de paradigma do século XX. Antigamente, o Observatório Real de Greenwich era o centro do mundo. Segundo ele, o século XXI só começaria formalmente no ano 2001, mas ninguém se importou e as maiores comemorações ocorreram no ano 2000.

Nós escolhemos as autoridades nas quais queremos acreditar. Na Idade Média europeia a maior autoridade era a Igreja. Hoje é a Ciência. Veremos até quando.

A segunda resposta do site que me chamou atenção foi retirar Karl Popper da cartola. A pergunta foi:

“Por que a Terra seria o único planeta plano?”

E a resposta nos deixou de cabelo em pé. No livro “A Lógica da Pesquisa Científica” Popper fala sobre o problema da indução. Supondo que todos os cisnes que vimos até agora são brancos, não podemos afirmar que todos os cisnes existentes serão necessariamente brancos. Encontrar apenas um cisne negro pode derrubar a teoria.

A princípio essa resposta pode parecer supérflua. Numa primeira olhada, a existência de uma sociedade que defende a teoria da Terra plana pode nos parecer no mínimo hilária no século XXI. Principalmente quando sabemos que há pessoas que defendem a ideia seriamente.

Flat Earth Society Logo

Contudo, eu considero extremamente importante a existência de pessoas e grupos que defendem ideias contrárias ao pensamento vigente. Isso é fundamental para não cristalizarmos nossa forma de ver o mundo.

Atualmente, não costumamos questionar muito os pronunciamentos da ciência. Se a revista científica The Lancet, Nature ou Science faz uma publicação, nós normalmente não nos preocupamos em investigar. Mas é claro que elas já cometeram erros e ainda cometem. Somos simplesmente humanos.

Hoje a teoria da Terra plana é classificada como “pseudociência”. Mas afinal, o que é pseudociência? Pode ser aquilo que não segue o passo a passo rigoroso do que chamamos hoje de método científico. Ou pode ser simplesmente algo que contrarie tanto as visões vigentes da nossa época que não é levado a sério. Não há financiamento ou interesse de investigar a questão mais a fundo.

Algumas áreas consideradas por muitos como pseudociência hoje são: astrologia, feng-shui, acupuntura, homeopatia, reiki, hipnose, cura por cristais, programação neurolinguística, parapsicologia, numerologia, ufologia e criacionismo.

Lionel Snell menciona que embora seja um grande fã da teoria da seleção natural, fica satisfeito que o cristianismo questione até hoje algumas teorias de Darwin e outros biólogos evolucionistas.

É claro que devemos estudar as teorias científicas em voga no século XXI. Elas nos proporcionam paradigmas com aplicações práticas muito interessantes. Contudo, não são os únicos paradigmas possíveis. O passo a passo atual do método científico também pode não ser o único modo de fazer ciência. Evidentemente, podemos chamar outras métodos de investigação da realidade com outros nomes além de ciência, conforme a preferência.

A rendered picture of the Flat Earth model. The white around the outside of the globe is an ‘Ice Wall’, preventing people from falling off the surface of the earth.

Fico pensando que mesmo com ainda mais evidências para apoiar a teoria da Terra esférica, os adeptos da teoria da Terra plana ainda poderiam apelar para a filosofia. Nesse vídeo eu comento que o filósofo David Lewis defendeu a existência de dragões, unicórnios e burros falantes. Quem sabe no mundo fenomênico kantiano nós enxergamos a Terra como uma esfera, mas no mundo numênico ela é um plano. Nossos sentidos físicos e nossa razão nos enganaram. Berkeley se baseia numa teoria das cores (eu posso ver uma cor preta e uma abelha ver uma cor vermelha) para sugerir que a realidade não é necessariamente o que parece. E, dependendo do referencial adotado, é verdade que do ponto de vista de um humano na Terra ela ainda é plana e é o Sol que gira em torno dela.

Para alguns isso é forçar a barra. Para outros, vale a pena ser cético para desafiar as limitações humanas e nos permitir transcendê-las até onde for possível nesse plano de existência.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Wanju Duli’s story.