A importância de bancos de imagens

Você que é designer deve saber, mas não custa nada reforçar: nunca use imagens que não sejam suas em projetos sem ter o direito pra isto. Você pode se encontrar em um processo judicial se for descoberto, e isto é uma dor de cabeça que pode ser evitada de uma forma muito simples: usando bancos de imagens.

Inúmeras vezes vi sites grandes (e até pequenos) usando imagens que foram tiradas do Google Images para ilustrar um projeto. E isto acontece muito também no design gráfico e na publicidade.

É simples: se o autor da imagem não disponibilizou ela para uso livre (o chamado royalty free — ou “livre de direito autoral”), o uso dela em um projeto pessoal ou comercial pode resultar em uma ação judicial. Como detentor do direito intelectual, o designer pode ser responsabilizado por isto mesmo se o projeto foi vendido a um cliente (sim, mesmo se o cliente pediu pra você usar aquela imagem!). Você criou, você vai pagar. Simples assim.

Se eu não tivesse permissão pra usar esta imagem, eu poderia ser processado (Foto Grumpy old judge por Shutterstock)

Se eu não tivesse permissão pra usar esta imagem, eu poderia ser processado (Foto: Grumpy old judge por Shutterstock)

E acredite: provar que você não é o autor de uma foto é fácil e dizer que “tá na net, é de todos” já não é uma desculpa que vai colar com um juíz. Só por que você encontrou uma imagem sem marca d’água não quer dizer que você pode usar em qualquer lugar, do mesmo jeito que se o seu logo for copiado e usado por outra empresa é ilegal.

É por isto que existem os bancos de imagens; sites que disponibilizam imagem livres de direitos autorais que podem ser usadas onde você quiser, sem medo. Vale notar que “livre de direito autoral” nem sempre quer dizer “de graça”, apenas que a licença permite o uso da imagem sem ter que pagar um valor mensal ou um valor que depende da tiragem e reprodução.

Sim, existem bancos de imagens com centenas de fotos grátis que geralmente só requerem um registro no site ou que dê os devidos créditos (como o SXC), mas nem sempre a seleção é muito grande.

E também existe a licença Creative Commons, que permite o uso de imagens que possuam essa licença de modo gratuito desde que você não ganhe dinheiro com ele e que dê créditos ao autor original (o Flickr permite procurar por fotos com essa licença), mas isto pode não ser muito útil quando você quer imprimir a foto em um outdoor, por exemplo, por dois motivos: 1) raramente fornecem uma versão em alta qualidade e 2) colocar créditos em um outdoor não é algo profissional a se fazer.

Imagens com estes ícones geralmente indicam possuir a licença Creative Commons

Imagens com estes ícones geralmente indicam possuir a licença Creative Commons

Por isto que recomendo os bancos de imagens pagos. Sim, pode significar um custo adicional no final do mês, mas este custo pode ser repassado direto ao cliente — assim como quando você usa uma fonte paga para o logo dele, o valor gasto para comprar o direito de uso da fonte deve ser repassada no orçamento.

Independente se você comprar créditos avulsos ou fazer um pagamento mensal, comprar fotos em banco de imagens é a melhor solução para evitar problemas judiciais. Você tem acesso a fotos com resoluções enormes que podem ser usadas em qualquer tipo de projeto comercial sem se preocupar em contratar um fotógrafo, pagar modelos, ter contrato para uso da imagem, edição da foto, etc.

Se no seu ramo, você depende muito de fotos e não quer correr o risco de sofrer um processo judicial, está na hora de correr atrás de um banco de imagens como o Shutterstock ou Fotolia para suprir as suas necessidades por fotos em alta qualidade e livres de direitos autorais.

Você usa algum banco de imagens para seus projetos ou prefere tirar suas próprias fotos? Comente!

Foto: Opened vault por Shutterstock


Originally published at Choco la Design.