Líder

Segundo o autor Richard Banfield, em seu livro Design Leadership: How to design Leaders build and grow successful organizations, o sucesso de empresas é a conexão entre uma cultura positiva e ter a aquisição e retenção de grandes talentos. O livro ainda reforça essa informação através de uma pesquisa, onde 70% dos líderes são taxativos em afirmar que a cultura é muito importante para o sucesso da empresa como um todo.

E essa cultura de sucesso, deve ser criada organicamente dentro de empresas, é claro que não adianta forçar uma mudança cultural impondo regras ou apenas criando uma imagem de empresa inovadora e legal. Mudanças são feitas de forma gradativa através das pessoas que fazem parte da empresa, onde essas pessoas criam relações umas com as outras, sociabilizam, se conhecem e trabalham juntas durante grande parte de suas vidas, se tornam uma equipe, as relações é que constroem ambientes positivos ou negativos.

Líderes de empresas também são responsáveis na geração de uma cultura de sucesso. Eles são grandes responsáveis por cuidar de um time e fazer com que o real envolvimento e crescimento focado no resultado comum aconteça, com que as relações dentro de um time sejam sadias. E líderes de design, obviamente fazem parte desse cenário.

Mas o que fazer quando você assumir uma posição de líder de design? Como mudar uma cultura, estabelecer novos parâmetros, qual caminho pegar? Por onde começar?

Existe uma série de sites, artigos, livros que podem auxiliar na procura de respostas, entender as responsabilidades e colocar tudo em prática. Pois resultados serão exigidos e as mudanças precisam acontecer. Eu apresentarei algumas coisas que são fundamentais, pelo menos para começar a nortear qual será o rumo inicial.

Pratique Yoga

Robert Hoejman Jr, autor do livro The Tao of User Experience, comenta que liderar um time de design não é uma tarefa trivial e o líder precisa ter uma série de itens fundamentais para poder fazer com que o seu time funcione. Na maioria das vezes a primeira coisa que aflige um novo líder é o nervosismo, mas esse profissional deve ter consciência que a sua própria barra de auto exigências deve ser baixada, pois geralmente há uma superestimação do que se espera do líder e o que será exigido dele.

Por isso o líder tem que se manter calmo, não deixando com que a ansiedade tome conta da situação (o que é bem normal se tomar também). A partir do momento em que a ansiedade ganha poder para influenciar decisões, o time também será influenciado com isso e a visão estratégica, a tranquilidade de um desenvolvimento progressivo e eficaz pode ser quebrado. Manter a calma e a visão limpa é um dos itens fundamentais para se obter bons resultados.

Quando assumimos uma posição de lideres de design, medo e preocupações sobre dar conta do trabalho são itens que já aparecem de brinde. O sentimento de pensar que não sabe o suficiente (e nunca saberemos mesmo) ou mesmo esquecer de todas as habilidades que foram os motivos para ganhar a posição de líder é algo que martela no início dessa carreira. Mas é necessário lembrar que se uma posição dessas lhe foi atribuída, é porque existem diferenciais que foram avaliados e são fundamentais para estar ali, liderando e acrescentando algo que o time e a empresa ganharão.

Por isso é importantíssimo sempre lembrar da essência pessoal e da famosa auto estima.

Nesse caso, é bom saber se acalmar, literalmente respirar, todos da equipe devem ganhar tempo para organizarem os pensamentos. Manter a mente limpa e clara faz com que o time todo possa renovar e ter novas ideias, insights e melhorias fundamentais para resolverem problemas.

Não quero dizer para tornar os dias em grandes feriados ou festivos, mas para abrir discussões, workshops e conversas de temas que indiretamente possam contribuir para o desenvolvimento de cada um, que consigam tirar o foco do turbilhão de pressão para conseguirem em conjunto, enxergar o todo, de uma forma mais ampla.

Reuniões, distrações disfarçadas de soluções

Demandas de micro urgências e distrações aparecem de todas as formas e tamanhos. Liderar um time de design é uma maratona que exigirá do profissional responsável diversas soluções desnecessárias e pequenas. Uma vez, quando assumi uma posição de líder de design em uma equipe, meu diretor comentou que eu deveria recusar o máximo de reuniões possíveis, no começo achei absurdo, mas depois eu entendi claramente o que ele queria dizer, pois o que mais as pessoas precisavam, eram de reuniões para gastar horas e horas sem chegar a resoluções nenhuma e tudo não passava de uma doce ilusão de que estavam realmente trabalhando.

Escapar de reuniões desse tipo é literalmente fugir das distrações e micro urgências, que só servem para tirar o foco do trabalho real e das verdadeiras e grandes soluções. Saber dizer não, saiba compartilhar responsabilidades, cortar o desnecessário, fugir das distrações e conseguir não entrar em pânico com tudo isso é importante para manter uma visão macro e de longa distância, sempre focado no objetivo maior, o que sem dúvidas é melhor do que acontecimentos que possam atrasar ou danificar bons resultados.

Você sabe ouvir e falar na da forma certa?

Aprender a aceitar criticas de uma forma positiva, é algo bem difícil. Mas faz parte do dia a dia de um líder de design, é fundamental para um líder olhar de forma critica sobre o trabalho de todos, inclusive o seu próprio. Saber receber criticas e transforma-las em argumentos de melhoria, é algo fundamental para uma liderança e criação de cultura positiva.

Um amigo certa vez comentou comigo que sonhava na criação de um programa em empresas que seria chamado de "Um minuto de sinceridade", onde cada profissional tem apenas um minuto para falar o que quiser sobre o outro, sem qualquer filtro, toda a qualquer critica, algo para "soltar os cachorros" e "lavar roupa suja" de tudo o que estava entalado. Completamente louca e sensacional a ideia, mas uma pena que quando falamos de pessoas, alguns (ou praticamente todos) levariam para o lado pessoal com certeza e a coisa caminharia para processos e agressões físicas.

Já pensou falar tudo o que você pensa sobre seu chefe? Acho que não ia dar certo.

Mas o conceito, se muito bem lapidado e deixado não pessoal, pode ser algo muito útil para a criação de uma aproximação entre time e líderes. E quando cria-se uma mentalidade da importância das criticas construtivas, o famoso "mimimi" desaparece e todos saem ganhando, pois o foco em qualidade se torna algo sustentável dentro da empresa, dentro do time de design (próximo vídeo e artigo será sobre feedback!).

Antes era o muro de Berlim, agora é o dos EUA, qual é o seu?

Um líder de design tem a importante missão de convidar, incluir e considerar todas as áreas para perto do time de design, ele tem a missão de derrubar barreiras impeditivas de aproximação, o que é algo muito comum também. A integração faz parte da função de um líder, faz parte da responsabilidade de aproximar para ensinar. Muitas empresas colocam o time de design em um pedestal ou os isolam em um calabouço. Conceitos complemente errados no ponto de vista de gestão, na verdade o time de design deve ser algo dissolvido dentro de todas as outras áreas de empresa, sendo corpo integral e linear para qualquer outro time ou área.

Abrindo um problema aqui no meio e relacionado sobre ensinar design, muitas promoções de designers para líderes de times pecam em um requisito fundamental, um líder precisa saber ensinar, ser a fonte de informações de valores de design, valores profissionais e organização. Muitos profissionais não desenvolveram essa habilidade e qualificação, não sabem transmitir conhecimento e isso precisa ser trabalhado em um profissional antes de assumir uma posição como essa. Não basta ele ser um líder que faz muito bem o seu trabalho, é preciso saber passar adiante o que ele sabe fazer tão bem.

A missão de quem está a frente de uma equipe é trazer para perto outros times, outras áreas, mas para isso acontecer é preciso saber o que fazer com essa aproximação e é nessa hora que entra o processo de educar, evangelizar áreas em conceitos fundamentais que tem como foco o usuário, a experiência, o bom produto e o trabalho em equipe.

Todos devem ter a responsabilidade de liderar

Nenhum bom líder olha para seu time como concorrentes, pelo contrário, enxerga nesses profissionais futuros líderes de times, de projetos, de produtos. Um líder de design ensina outros a serem responsáveis, pois todos devem crescer, de forma integral, equilibrada e distribuída, valorizando cada perfil e seus potenciais.

Uma frase clássica para contratações de profissionais é “contrate pessoas mais inteligentes que você”. Parece um clichê, mas é um mantra que deve ser lembrado constantemente. Contratar uma pessoa mais eficiente, mais inteligente e o mais diferente possível de você não é somente adquirir um bom recurso, é também trazer pessoas que possam em conjunto enxergar longe e batalhar para sempre realizar a visão da empresa, coisas que nem sempre os próprios fundadores são capazes de fazer.

Times de líderes, de profissionais habilidosos, com visão e envolvimento em projetos é o que compõe a fundamental mudança de cultura de uma empresa, pois todos se sentem responsáveis em realizar bons projetos e entregar resultados positivos.

Você deve gerenciar ou liderar?

E para concluir essa breve reflexão sobre liderança de design, Robert Hoejman Jr ainda traz a tona que líderes não são gerentes. Existe uma grande diferença entre gerenciar e liderar. Ele cita que muitos gerentes pensam que são pagos para organizar, delegar e acompanhar os projetos, eles não sabem que isso é completamente errado e é um mito, que causa detrimento à produtividade, porque muitos gerentes não são preparados para realmente gerenciar.

Gerenciar é muito mais do que apenas fazer ajustes para o caminho ficar livre, gerentes constroem os caminhos para o seu time poder passar, eles devem prover as ferramentas e meios para alcançar os objetivos. Já os líderes de design ajudam a definir o futuro, ajudam em como pensar na estratégia e plano de execução, sabem estabelecer um equilíbrio de qualidade geral para todo o time, capacitando a auto critica, foco em qualidade e visão estratégica sobre resultados. Por isso, ele não gerencia atividades, mas lidera a visão de qualidade do time.

O vídeo sobre o líder

No vídeo dessa semana, essas dicas sobre o inicio da carreira de um líder se complementam com o que está escrito no artigo acima. Então, conclua assistindo o vídeo e traga seus insights sobre o tema. Ah e não esqueça de assinar o canal.

Lembre-se de acompanhar o Medium do Choco la Design e assinar nossa Newsletter para receber as novidades:

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.