Maratona Alien

No espaço ninguém pode ouvir você gritar

ATENÇÃO! A maratona seguir parte da premissa que os leitores já assistiram todos os filmes da franquia Alien, exceto o spin-off Alien: Covenant (2017). Portanto, se você não viu os filmes da franquia prepare-se para os spoilers!


Alie: o Oitavo Passageiro (1979)

Dirigido por Ridley Scott, o primeiro filme é muito mais um terror espacial do que uma ficção cientifica. A maneira como constrói uma sensação de claustrofobia e solidão, vivida pelos sete tripulantes da Nostromo é referência até hoje para filmes que seguem o gênero — ou copiam totalmente a fórmula, como foi o caso de Vida (2017).

Não há nada de extraordinário no roteiro de Alien, o Oitavo Passageiro: um grupo de tripulantes de uma nave rebocadora que em pleno retorno à Terra, decidem investigar um estranho sinal recebido de uma nave alienígena. Não encontram nada além de destroços e uma grande câmara contendo vários ovos. É o bastante. Um dos humanos é atacado por uma pequena criatura com sangue de teor extremamente corrosivo. A morte do ser, no entanto, é apenas o início de um literal nascimento de um monstro ainda pior que passa a perseguir e matar a tripulação da Nostromo. No fim, Ellen Ripley (Sigourney Weaver) consegue matar a criatura e entra num sono profundo em sua cápsula, sem rumo e previsão para acordar.


Alien: O Resgate (1986)

Dirigida por James Cameron, a sequência deixa de ser um terror espacial e se entrega a ação. A ideia do diretor aqui foi expandir o universo apresentado por Ridley Scott, acordando a Ripley de sono que durou 57 anos e colocando ela em uma missão.

Ao acordar, Ripley é resgatada por uma base espacial e descobre que no planeta de onde veio o sinal foi colonizado. A população que vive lá não tem noção do perigo que estão correndo. Logo, ela se vê forçada a ajudar uma equipe de militares a verificar o que aconteceu no planeta. Chegando lá, eles descobrem um enorme ninho e, desta vez, Ripley tem que enfrentar várias espécimes da criatura que matou sua antiga tripulação, além de uma rainha monstruosa, que coloca os ovos para gerar mais e mais Aliens. O filme explica que a infestação aconteceu quando uma família que explorava o planeta achou aquela mesma nave alienígena mostrada no primeiro filme.

No fim, Ripley consegue exterminar (novamente!) os ovos, matar a rainha e, de quebra, salvar uma criança e um militar, Hicks (Michael Biehn). Os três, mais as peças do android Bishop (Lance Henriksen), embarcam na nave de volta para a base.


Alien 3 (1992)

A franquia poderia ter parado na sua primeira sequência. Mas o estúdio seguiu em frente com um novo diretor, desta vez David Fincher.

Desta vez, a nave onde Ellen Ripley terminou sua jornada do filme anterior está infectada de ovos deixados pela rainha. A nave cai em um planeta habitado por ex-condenados de uma prisão de segurança máxima, e Ripley é a única sobrevivente. Enquanto ela tenta descobrir os motivos que derrubaram a nave, acaba descobrindo que o Alien também pousou com ela no planeta, e já chega colocando um embrião dentro de uma vaca.

A surpresa desse filme é que a criatura não mata Ripley quando se encontra com ela. A situação intriga a protagonista, que faz uma ressonância si mesma e descobre que carrega o embrião de uma rainha dentro dela. Depois da matança realizada pela criatura (já esperada, conforme os filmes anteriores), o Alien é morto por Ripley. Quando resgate chega, a protagonista descobre que Weyland (a empresa que a salvou no segundo filme) está interessada em estudar o Alien que ela carrega dentro de si. Ripley se vê sem escolha e decide tirar a própria vida para que não exista a chance da rainha nascer e procriar.


Alien: A Ressureição (1997)

Este com certeza é o mais descartável da franquia. O filme sofre com a direção fraca de Jean Pierre Jeunet, e não consegue explorar o terror espacial, e tampouco criar cenas de ação decentes.

Sim, você que nunca viu deve estar pensando: “mas a Ripley não se matou no outro filme?”. Acontece que esta sequência se passa 200 anos depois de Alien 3, quando a tecnologia já está tão avançada que cientistas conseguiram criar um clone de Ripley (forçado, não é?). A nova Ripley foi criada para que uma rainha crescesse dentro dela e eles tivessem ovos para que os Aliens fossem gerados e estudados em laboratório. Além de termos Ripley de volta, ela está com o DNA da criatura, e se torna uma híbrida com sangue ácido e super força (trash, não é?).

Quando o Alien começa sua costumeira matança de todos os filmes a nave onde fica o laboratório,entra em estado de emergência e começa a traçar a sua rota para a base. O problema é que a base fica na Terra e ao mesmo tempo que os tripulantes precisam impedir a rota, eles têm que lidar com uma outra espécie de Alien que é acaba sendo gerada em meio toda a confusão. Depois de derrotar a criatura, os sobreviventes chegam ao planeta Terra, que aparece pela primeira vez na franquia. Este final, com tantos coadjuvantes vivos e inexpressivos, deixa a sensação de que o roteirista não tinha a menor ideia do que estava fazendo.


Prometheus (2012)

Quando anunciaram este prelúdio da franquia Alien, com a Ridley Scott, a maioria pensou que seria a salvação da franquia. Mas acabaram desapontados… A expectativa, que era grande, que virou até motivo de chacota na internet, com o meme “Prometheus e não cumprius”. A grande decepção foi que as pontas da franquia ficaram mais soltas do que nunca.

O filme mostra a tripulação da nave Prometheus, que busca descobrir a resposta para as maiores perguntas da humanidade: De onde viemos? Para onde vamos? Por que estamos aqui?. A expedição, financiada pela Weyland, chega até o planeta onde os líderes da tripulação acreditam que estejam as respostas. No entanto, ao desembarcar eles encontram apenas uma base abandonada, que guarda em seu interior uma espécie de material orgânico capaz de destruir a vida. Após os sobreviventes, Elizabeth Shaw (Noomi Rapace) e o android David (Michael Fassbander), conseguirem impedir o único ser vivo do local de partir rumo à Terra para destruí-la, eles partem em busca de respostas em outro planeta.


Próximas sequências

Apesar da franquia ter ido além do que precisava, Ridley Scott prometeu responder as questões levantadas em Prometheus no filme Alien: Covenant (leia a crítica clicando aqui). Assista ao trailer: