A MODA PÓS WEB

Como somos influenciados pela mídia e nos adaptamos à novas formas de consumo.

“Eu quero fechar meu braço de tatuagem igual ao dela”, disse Marcela de Oliveira, estudante de jornalismo da FACHA, referindo-se a blogueira, Gabriela Rippi. Não é de hoje que a moda tem influenciado no comportamento das pessoas, seja pelo estilo de se vestir, falar, ou até mesmo pelas suas atitudes cotidianas. Com a internet, podemos perceber que a forma de consumir moda vem ganhando novo formato comparado as outras gerações.

Hoje, acessamos a conta de um artista ou personalidade que admiramos e somos influenciados pelo seu comportamento. A ligação com essas celebridades é muito mais próxima do que se pode imaginar, quando, por exemplo, um fã tem a oportunidade de usar a mesma marca que seu ídolo, essa é apenas uma de tantas outras situações que acontecem graças ao acesso à internet.

A geração pós web se adaptou às novas mídias, de forma que a própria moda teve que se ajustar a esse novo público, vendendo roupas online e bombardeando seus seguidores com publicidade de produtos através de pessoas famosas.

Uma pesquisa realizada pelo Mercado Livre com o Ibope Conecta, em 2015, mostra que o Sudeste, por exemplo, é a região que mais compra perfumes online. Os dados revelam também que comprar moda na internet já virou um hábito: 80% dos consumidores online adquiriram algum produto ligado à moda nos últimos meses. A pesquisa foi realizada com mil pessoas para entender como eles consomem especificamente moda na internet.

Torna-se evidente portanto, que consumir o que serve para o outro pode não servir para si próprio. As pessoas não escolhem fazer algo porque sentem vontade, elas escolhem se espelhar/ser igual a outro alguém, geralmente alguma personalidade da mídia. É o caso da aluna Rayane Mancini, segundo ela, o fato de ter cabelo rosa atrapalha seus relacionamentos, pois o diferente ainda não tem grande aceitação em nosso meio, o que dificulta até mesmo na hora de conseguir um emprego ou estágio.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Larissa Albuquerque’s story.