Pela primeira vez detectamos planetas em outra galáxia

Créditos: Universidade de Oklahoma

Pela primeira vez, fomos capazes de descobrir planetas fora da nossa galáxia Via Láctea. Utilizando as microlentes, astrofísicos da Universidade de Oklahoma detectaram planetas com tamanhos variados — desde a massa da Lua até a de Júpiter.

Microlente ou microlente gravitacional é um efeito astronômico derivado da lente gravitacional. A lente gravitacional acontece quando uma estrela fica alinhada com outro objeto, surgindo uma curva de luz devido o campo gravitacional. Sendo assim, imagens distorcidas são formadas pela estrela que são observadas pelos telescópios e juntadas por softwares.

Já a microlente acontece quando campos gravitacionais de um planeta e de sua estrela se encontram fazendo com que a luz seja magnificada. Assim, neste exato momento, o observador é capaz de ver uma imagem distorcida do planeta.

“Estamos muito entusiasmados com esta descoberta. Esta é a primeira vez que alguém descobriu planetas fora de nossa galáxia”, diz Xinyu Dai, professor do Departamento de Física e Astronomia da Universidade de Oklahoma.

Os objetos tem massas que variam desde a da Lua até a de Júpiter. A galáxia lar destes objetos está a 3,8 bilhões de anos luz de distância de nós. A descoberta foi possível graças a ajuda o telescópio Chandra da NASA no Observatório Smithsonian.

“Este é um exemplo do quão poderosa podem ser as técnicas de análise de microlentes extragalácticas. Esta galáxia está localizada a 3,8 bilhões de anos-luz de distância e não há a menor chance de observar estes planetas diretamente, nem mesmo com o melhor telescópio que se possa imaginar em um cenário de ficção científica”, comenta Eduardo Guerras, realizador da descoberta e alunos de pós-doutorado da Universidade de Oklahoma.

O trabalho foi publicado na revista Astrophysical Journal Letters.