Road to SCRUM Mastery #1

Olá,

Esse será o primeiro (e provavelmente mais longo) post de uma série onde vou relatar minha experiência implantando SCRUM em uma Tech StartUp encubada no sul do Rio Grande do Sul.

Um background sobre a minha pessoa:

Meu nome é Claudio Davi, tenho (no dia dessa postagem) 22 anos e fazendo o possível pra me formar em Engenharia de Software ao fim desse ano. Isso quer dizer que além do estágio nessa StartUp, estou cursando 6 matérias e fazendo meu Trabalho de Conclusão de Curso, que em termos gerais eu resumiria como: “Aprendizado de Máquina Aplicado ao Gerenciamento de Projetos de Software”.

Algum tempo atrás, alguns colegas que estavam fazendo estágio nessa empresa falaram que estavam procurando alguém mais experiente no curso pra trabalhar com eles. Como não sou muito de perder oportunidades eu fui conversar com o responsável. Desde então, promovi treinamentos sobre Documentação de Software Ágil e Desenvolvimento Mobile com Cordova/Phonegap.

Um tempo depois surgiu a necessidade de fazer a implantação de uma metodologia para o desenvolvimento que até então estava “Ad-Hoc”. A necessidade da mudança era eminente pois o número de projetos e stakeholders estavam aumentando.

Como eu já tinha um background trabalhando com Scrum anteriormente, e as praticas sempre promovidas pelo curso na universidade, fui promovido a SCRUM Master.

E assim começa minha aventura.

Nosso primeiro Sprint de verdade, seguindo as regras e bem definido começa amanhã. Porém eu vou já dizendo o que tenho feito até hoje.

A primeira atividade promovida foi ajustar o Backlog. Haviam listas de requisitos espalhadas e atividades não definidas, enquanto o time de desenvolvimento fazia o possível para atender os requisitos que lhes eram designados.

Para a montagem do Backlog, juntei o time e organizamos os documentos que falavam sobre as funcionalidades do sistema. Depois disso, procuramos escrever as funcionalidades do sistema na forma de histórias de usuário, seguindo a fórmula (não oficial) a seguir:

Como <tipo de usuário> desejo <fazer alguma ação> por <motivos para realizar a ação>

Depois que os dois projetos principais foram definidos com histórias de usuário, juntei o time e montamos a SCRUM Board na parede da empresa, com 4 seções:

Backlog, To Do, Doing e Done.

Após preencher o Backlog com Post-its das histórias de usuário; a equipe e eu junto com o Product Owner definimos o “Done”, que seriam os requisitos mínimos a serem atingidos para que a entrega seja aceita. Além disso, antes de começar as atividades de verdade, procurei um conhecido também formando em Engenharia de Software que está trabalhando com testes, para fornecer um treinamento mais especializado para a equipe. O que aconteceu semana passada.

Com isso, aos poucos estou colocando algumas práticas da metodologia em uso. O Daily Scrum está acontecendo, ainda não perfeitamente, porém o progresso é visível. Como eu peguei pra fazer a implantação com projetos em andamento, decidi fazer uma transição mais suave, ir implantando devagar alguns princípios, pois já havia trabalho sendo feito e para que os times não levem um choque de primeira.

Estamos atualmente no fim da primeira desde que assumi a responsabilidade semana e o primeiro Sprint oficial começa amanhã. A Scrum Board já está sendo utilizada, tarefas já foram definidas para cada uma das histórias de usuário que já estavam em desenvolvimento.

A partir de amanhã, irei guiar os times em todos os eventos do Scrum.

Boa sorte pra mim.