o alien que habita.

foto original do pinterest

“Olá, meu querido Jorge. Como você está? Abri meu e-mail ontem e recebi uma confirmação de que você felizmente está vindo para a Terra, e não somente para o meu planeta, como será o meu hóspede. Devo lhe alertar sobre algumas coisas específicas e espero que seu teletransporte não dê tilti. Bom, a minha casa está localizado exatamente na posição 22° 52' 21.51'’ S e 43° 25' 22.71'’ W no Brasil (talvez isso já facilite sua vida, mas aqui ninguém usa localização geográfica, quando você chegar eu te explico sobre o nosso WAZE que deve ser bem abaixo da média comparado ao que tem no seu planeta, viu).

Aqui ainda não temos carros voadores nem teletransporte, na verdade, o máximo de avanço que conseguimos até agora foi um aplicativo com carros particulares, mas tudo bem. Escolhi o meu quarto e espero que você não se importe de talvez chegar e dar de cara comigo só de peças íntimas, mas caso aconteça, não se assuste… Aqui na Terra faz muito calor, mas especificadamente na “minha” terra, o Rio de Janeiro, chegamos próximo dos 39 graus… Prepara a sua mala com roupas simples que vou te garantir uma estadia o máximo de tempo possível no ar-condicionado. Se sua pele for sensível, vamos precisar de protetor-solar!

O meu quarto é peculiar, se você não ouvir piados de calopsitas está no lugar errado, eu garanto. É um cômodo de quatro paredes brancas, uma porta de madeira lisa e uma janela de madeira com vidro escurecido. Imagine detalhadamente uma cama de solteiro no cantinho de uma das quinas e de frente para ela um armário de 6 portas e 4 gavetas amarelo. Ah, ele é cheio de fotografias por dentro e por fora. Encostado numa das paredes livres, tem um berço branco. Normalmente o Arthur - meu filho - só fica ali para dormir, ele vai pirar com a sua chegada e te encher de perguntas.

Uma das paredes tem nichos de madeira branca. São três e eu não sei se você saberá identificar, mas são círculos que suportam bichinhos de pelúcias e outros trecos, mas sempre nessa ordem aqui no quarto da direita para esquerda: um urso azul com olho mordido, um cachorrinho marrom-escuro com a língua para fora e no maior um Woody, de Toy Story — que você não deve conhecer o personagem, mas ele tem um “Andy” escrito na sola da bota e é um cowbow de chapéu e arma na cintura. Não tem erro, Jorge! Aliás, podemos assistir esse filme, duvido que no planeta de vocês criaram um filme com brinquedos que ganham vida. Certeza que você vai expelir líquido pelos olhos e chorar com esse desenho infantil.

Minhas calopsitas, Maria Rita e Fubá Roberto, vivem em cima desses nichos. Não precisa ter medo da Maria Rita porque ela é mansinha, mas se por algum acaso você se teletransporte para perto do Fubá Roberto, eu aconselho que mantenha a calma e não faça movimentos muito bruscos. Ele é bastante arisco e pode voar para cima de você.

O chão é um piso liso e branco, e sinceramente gostaria de saber exatamente os metros quadrados desse quarto para ser mais precisa nos detalhes, mas não faço a menor ideia, nem grande e nem pequeno. Então, além dos pisos, o teto é reto e até que consideravelmente alto para um apartamento.

No mais, estou curiosa para saber se você tem anteninhas e é verde ou se é como nos desenhos e tem três olhos, então, por favor, chegue logo. Vamos nos divertir muito, eu prometo. Vou preparar um brigadeiro para você e espero aprender sobre seu planeta também, quem sabe eu não poderia visitá-lo algum dia e me tornar uma de vocês.

Beijos, Leslie.”

Esse texto foi escrito como o segundo desafio do Clube da Escrita, cujo tema foi Alien Intercambista.