Vamos repensar nossa relação com o desperdício

E isso, claro, começa com a comida que a gente come.

Por Menos 1 Lixo

A alimentação é um pilar muito importante para os que escolheram uma vida mais sustentável e com menor impacto negativo para o planeta, seja nas compras sem embalagem, na compostagem ou na escolha de consumir dos pequenos produtores. Comer é vital em muitos sentidos, e é de fato o que nos sustenta aqui!

Em média, mais de 50% do lixo doméstico é orgânico. Isso significa que muito do que poderia ser reaproveitado como alimento simplesmente vai para o lixo, sem que a gente dê uma chance pra ele. É claro que existe a opção da compostagem, que é incrível e fundamental para o processo de fechamento do ciclo do ecossistema. Mas por que não consumir melhor? E é aí que iniciativas como a do Clube Orgânico representam um ato de consumo consciente super importante.

Um projeto como o Clube Orgânico é fundamental para evitar o desperdício de alimentos, você já pensou nisso? É comum a gente pensar sobre o desperdício de comida dentro da nossa casa, desde o ato de cozinhar até aquela fruta que fica por ali e que ninguém comeu. E não é pra menos, o relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) de 2017 mostrou que a fome é um problema mundial que não para de crescer, alcançando 11% da população em 2016, o que significa que 815 milhões de pessoas estavam no grupo da fome, um aumento de quase 40 milhões em relação a 2015.

Desse número alarmante, 42 milhões estão na América Latina e no Caribe. Só no Brasil, estima-se que 39 mil toneladas de comida são desperdiçadas diariamente, o suficiente pra garantir 3 refeições para 19 milhões de pessoas. De toda a comida que é desperdiçada, 46% tem causa na distribuição dos alimentos, no processamento e no consumo e os outros 54% durante a manipulação e o manuseio, ou seja, antes mesmo do produto chegar no supermercado.

O problema não para por aí. Segundo o Relatório de Inteligência de Alimentos do SEBRAE, das 10 toneladas de alimentos que são produzidos no Brasil, só 4 chegam ao consumidor final. Isso significa um total de R$ 12 bilhões de prejuízo. As embalagens frágeis, o manuseio excessivo do produto e a falta de lugares adequados para o armazenamento são os principais motivos pro desperdício: 10% acontece no campo, 50% no manuseio e no transporte, 30% no abastecimento e comercialização e 10% no consumidor final.

Quando consumimos um programa como o do Clube Orgânico, contribuímos e muito pra diminuir o impacto desses números. Além da seleção dos orgânicos direto dos produtores locais, o tempo de transporte entre a coleta e a entrega é de menos de 24 horas, evitando a perda de alimentos em todo esse processo. Os produtos são mais frescos e comprar do pequeno produtor é super importante pra manutenção do ciclo de sustentabilidade, já que os orgânicos são mais saudáveis e não tem agrotóxicos. A agricultura local tem mais responsabilidade com o ecossistema e investir nesses produtos é investir na saúde do planeta também. A seleção por alimentos da estação também contribui pro meio ambiente, respeitando a safra que a terra se dispõe a oferecer.

E, além de todos os benefícios que já sabemos sobre valorizar a economia local, quando consumimos de pequenos produtores através de um projeto que te dá acesso a eles, estamos contribuindo para um sistema de não desperdício de alimentos, que contribui para minimizar os números alarmantes que falamos acima. O consumo consciente através da alimentação começa na escolha pelos orgânicos, e vai até a atenção à comida que jogamos fora. Porque não existe fora, certo? Vamos repensar a nossa relação com o desperdício?


O Menos 1 Lixo é um movimento de educação ambiental idealizado pela Fe Cortez que se propôs a ficar 1 ano sem consumir copos descartáveis. Foi assim que surgiu a criação do copo do movimento, retrátil, prático, de silicone e 100% fabricado no Brasil. O copo do Menos 1 Lixo é um agente de transformação pra estimular a mudança de hábitos através de um único gesto.