Dá pra se viciar em agrotóxico?

Recentemente, as abelhas estão provando que sim.

Até a última gota.

Você já parou pra pensar que os agrotóxicos têm impactos para além da contaminação na nossa saúde? Se a gente pode se viciar em cigarro…

será que a natureza pode se viciar em veneno?

A revista Exame publicou no final de agosto uma notícia extremamente triste e preocupante: as abelhas já estão apresentando sintomas de dependência a certos tipos de pesticida. Como? Bom, as abelhinhas se alimentam do néctar das plantas e flores e agora elas estão procurando justamente as que estão contaminadas.

Parece que elas são atraídas por um inseticida que é derivado da nicotina, os neonicotinóides. Alguns deles já foram proibidos na União Europeia e outros lugares do mundo. Com o vício, as abelhas têm o seu sistema nervoso afetado, as funções motoras, a orientação e até a capacidade de reprodução prejudicadas.

O problema é bem sério.

As abelhas são fundamentais para o mundo não entrar em colapso, sendo responsáveis pela polinização de quase 100% dos vegetais, tá sabendo?

Alguns apicultores já precisam alugar as abelhas para polinizar os vegetais nas fazendas, pelo problema que a gente já enfrenta. Elas são as que atuam em grande escala nesse ecossistema e são fundamentais pra que tudo funcione perfeitamente bem.

E a gente já conversou por aqui que o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo e ele também é o território com maior biodiversidade do planeta! Já deu pra entender como essa notícia pode afetar a gente, né?

O IBGE já declarou que só o Brasil aumentou o seu consumo de agrotóxicos em 20% no ano passado.

E a gente sabe que os animais são pontos sensíveis quando falamos dos nossos impactos no planeta. As abelhas são milenares e não merecem esse tratamento tão desigual e agressivo. Nós somos parte do problema. Que tal investir nos orgânicos, na mobilização contra os agrotóxicos e estudar as propostas dos candidatos pra esse assunto? Vamos juntxs?


O Menos 1 Lixo é um movimento de educação ambiental idealizado pela Fe Cortez que se propôs a ficar 1 ano sem consumir copos descartáveis. Foi assim que surgiu a criação do copo do movimento, retrátil, prático, de silicone e 100% fabricado no Brasil. O copo do Menos 1 Lixo é um agente de transformação pra estimular a mudança de hábitos através de um único gesto.