A Empática “Maid”

Marcia
Marcia
Oct 2 · 2 min read

A comédia dramática americana “Maid”, original e lançada mundialmente pela plataforma de streaming Netflix na sexta-feira (01/10/2021), com 10 episódios de 47–60 minutos. A trama acompanha a jovem mãe Alex (vivida por Margaret Qualley), que ao se separar de um um jovem abusivo vai trabalhar como faxineira porque não tem qualificação para outro emprego, mas sua vida não é nada fácil pois tem uma mãe artista e com problemas mentais, Paula (vivida por Andie McDowell), que lhe enche de preocupações, um pai distante que nunca lhe ajudou e agora atrapalha ficando do lado do ex-companheiro dela, ainda não consegue dinheiro suficiente para pagar um aluguel e vai morar com sua filhinha num abrigo para mulheres que sofreram violência, entretanto, apesar dessa vida sofrida, ela sonha fazer faculdade e se tornar uma escritora. A minissérie - inspirada nas memórias de Stephanie Land, “Maid: Hard Work, Low Pay, and a Mother’s Will To Survive”, lançada em 2015 - é dolorida, incômoda, comovente, empática e com pitadas de humor, tem ótima atuação da protagonista, bom elenco, boa direção de arte, bela fotografia, belo cenário natural, boa trilha sonora, ritmo lento e um roteiro muito interessante, com bons diálogos, que mostra uma família disfuncional que traumatizou uma jovem com grande potencial mas que a pobreza, a luta pela sobrevivência e a violência psicológica de um companheiro a destrói, contudo raras pessoas do bem aparecem em sua vida para lhe dar esperança de uma vida melhor no futuro e entender o que não pode mudar. Curiosidade: Andie McDowell é mãe na vida real da Margaret Qualley e a primeira vez que trabalham juntas. Vale muito a pena assistir, maratonar, mas poderia ter menos episódios. Confira o trailer:

Coadjuvante

Para quem gosta de filmes, séries e afins.

Coadjuvante

Para quem gosta de filmes, séries e afins.

Marcia

Written by

Marcia

Coadjuvante

Para quem gosta de filmes, séries e afins.