Estoicismo Diário #270 — O que a prosperidade vai revelar?

"Porque até mesmo a própria paz irá fornecer razão para a preocupação. Nem mesmo as circunstâncias positivas trarão confiança uma vez que sua mente está abalada — uma vez que ela tem o hábito de se desesperar, ela não pode fornecer a própria segurança. Pois ela não consegue evitar o perigo, apenas fugir."
 — Sêneca

Existe um provérbio que afirma que o dinheiro não muda as pessoas, ele revela. Robert Caro levou a ideia um pouco além e escreveu que o poder não corrompe, ele também revela. Em muitos casos, a prosperidade — financeira e pessoal — funciona da mesma forma.

Como disse Sêneca, se sua mente desenvolveu o hábito de entrar em pânico, não importa quão boas as coisas são, você ainda está sintonizado(a) com o pânico. Não importa quanto você tenha, você ainda será infeliz — especialmente agora porque tem mais a perder. Você viverá em um mundo em que cada esquina esconde uma ameaça.

Logo, não existe muito sentido em desejar a boa sorte.

O mais lógico é desejar pela capacidade necessária para prosperar na boa ou na má sorte. Ou melhor, trabalhar para desenvolver as características necessárias. Assim, quando a boa sorte chegar, ela vai revelar uma pessoa resiliente. Não uma paranóica.

Aplicação pessoal

Pense em alguém que foi promovido, como consequência conseguiu um aumento significativo, além de um bônus. Quais as chances dessa promoção subir à cabeça de alguém? E quais as chances dela ficar paranóica, vendo inimigos em todos os cubículos do prédio?

Existem dezenas de tiranos paranóicos na história do mundo para ilustrar como poder, dinheiro e prosperidade revelam os piores lados do caráter de alguém. E nem eu nem você estamos imune a isso, mas podemos trabalhar para evitar esses efeitos indesejados.

Em suas cartas, Sêneca sempre dizia a Lucílio que, nos momentos de prosperidade, existe a oportunidade perfeita para treinar a resiliência e, de certa forma, o desapego. Voltamos ao praemeditatio malorum, tanto para não nos deixarmos levar pela sorte, quanto para não nos deixarmos dominar pelo pânico.

Portanto, aceite a sorte quando ela vier, mas mantenha em mente que:

  1. As boas coisas não são eternas. Tudo chega a um fim, especialmente o bons momentos. Então, quanto mais cedo você se preparar para ele, melhor.
  2. Se você tem o hábito de entrar em pânico, não importa quão boas sejam as suas circunstâncias, você entrará em pânico por qualquer coisa. Comece a treinar seu auto-controle e a aceitar a realidade de que nem sempre você vai ganhar.
  3. O mundo não gira em torno de você. A sua promoção não vai incitar conspirações ou tentativas de assassinato por parte do Universo. Não atribua à malícia o que pode ser explicado pela estupidez (Navalha de Hanlon).


Conecte

Se você quiser se concentrar nas coisas certas, diminuir o estresse e controlar a ansiedade, clique aqui e se inscreva para receber um email por semana com dicas, exercícios e textos.