Estoicismo Diário #103 — Menos é mais

"Não aja com ressentimento, de forma egoísta, sem o devido zelo ou seja do contra. Não enfeite seus pensamentos com a linguagem culta. Não seja uma pessoa de palavras e atos em excesso… Seja alegre, sem desejar o que a ajuda externa ou o alívio que outros possam trazer. Uma pessoa precisa cuidar de si mesma, e não ser sustentada."
— Marco Aurélio

Em Hamlet, a Rainha Gertrude, depois de aguentar um longo discurso de Polonius, diz: "Mais conteúdo com menos arte". Em praticamente tudo, o que a Rainha disse é verdadeiro — menos é mais.

Você não precisa impressionar os outros, nem enfeitar os seus atos e palavras. Se o imperador Marco Aurélio disse isso a si mesmo — ele, que precisava dar discursos e se conectar com seus súditos — , então por que nós deveríamos perder nosso tempo (e o dos outros) com excessos? Pense nisso da próxima vez que quiser impressionar alguém.

Aplicação pessoal

Minimalismo é aprender a ressignificar as coisas — objetos, relacionamentos, pensamentos, emoções, escolhas. Trata-se de remover as camadas de coisas não-essenciais até achar o que verdadeiramente importa — e poder aproveitá-lo.

Marco Aurélio sabia do poder de reduzir para se conectar com o essencial (porque isso é cuidar de si mesmo). E você, vai continuar perdendo tempo com o excesso ou vai focar no que interessa? Mais conteúdo, menos enfeites.