Estoicismo Diário #106 — Observe as causas e os efeitos

"Preste muita atenção no que está sendo dito nas conversas, e o que se segue a qualquer ação. Na ação, imediatamente procure o alvo, em palavras, ouça atentamente o que está sendo indicado."
— Marco Aurélio

O estoicismo é considerado a base para a terapia cognitivo-comportamental (TCC). Proposta pelo psicólogo Albert Ellis, a ideia é identificar padrões destrutivos nos próprios pensamentos. Ao longo do tempo, é possível direcionar e influenciar esses padrões de forma a levá-los a uma direção positiva.

Marco Aurélio não era psicólogo, mas as suas palavras são tão importantes quanto as de Ellis. O que ele pede é que nos tornemos observadores das nossas ações e dos nossos pensamentos, e das reações que cada um deles provoca.

De onde eles vêm? O que os provocou? Quais as tendências que posso verificar no que penso? Essas tendências são positivas ou negativas? Esse comportamento me prejudica ou me traz algo de positivo? Eu me arrependerei de agir assim? Isso importa agora?

Nosso cérebro ama padrões, é assim que ele faz sentido de todas as informações que assimilamos a cada segundo. E às vezes nos apegamos padrões destrutivos porque não conseguimos compreender suas consequências; agimos e nos arrependemos depois.

Ao entender as consequências que padrões em nossas palavras, ações ou pensamentos originam, podemos finalmente quebrá-los e assimilar um novo padrão positivo.

Aplicação pessoal

Há alguns dias, acordei no meio da noite e comecei a ser bombardeada por pensamentos sobre o futuro. Pensamentos fruto do hábito de me preocupar em excesso. No momento, eu tenho duas oportunidades excelentes para o próximo semestre. Mas escolher uma elimina a outra, então, qual a melhor escolha ou a escolha "certa"?

Quando acordei, todos os contras de cada uma delas começaram a passar pela minha mente, o que gerou ansiedade. Eu sabia qual seria a reação caso deixasse tudo isso continuar, então me perguntei: "que vantagem pensar sobre isso irá me trazer?". A resposta foi: nenhuma, porque, como disse Sêneca, quem sofre antes de ser necessário, sofre mais do que o necessário.

Ao sermos capazes de questionar nossos pensamentos, podemos interromper um padrão negativo antes que ele gere uma reação ou uma ação estúpida no mundo externo.

O que passa pela nossa mente não é uma verdade absoluta — tudo pode ser questionado.