Estoicismo Diário #52 — A vulnerabilidade provocada por desejos

"Lembre-se que não é apenas o desejo por riqueza ou ascensão social que tira nossa base e nos domina, mas também o desejo por paz, diversão, viagens e aprendizado. Não importa qual é a coisa externa, o valor que colocamos nela nos deixa dominar por outro… onde está o nosso coração, ali reside o impedimento."
— Epictetus

Epictetus não quer dizer que desejar paz, diversão, lazer ou aprendizado é algo ruim. O que nos desestabiliza é o desejo ardente por qualquer coisa externa.

Nossos desejos nos deixam vulneráveis. Ao desejar algo, quando surge uma oportunidade, deixamos de pensar racionalmente e nos entregamos às nossas emoções. Como consequência, podemos perder o controle, especialmente se as coisas não acontecerem como desejamos.

Diógenes disse: "é privilégio dos deuses desejar nada, e de homens divinos desejar pouco". Desejar nada seria a definição de invencibilidade porque não existirá coisa alguma fora da nossa esfera de controle que poderá perturbar a nossa paz de espírito.

Felizmente, não precisamos ser monges budistas em busca do Nirvana, mas devemos controlar os nossos desejos ou eles acabarão por nos controlar.

Aplicação pessoal

Depois de meses em casa por causa da reabilitação do ombro, eu desenvolvi uma necessidade por novos ares, por algo novo, e resolvi aceitar a sugestão do meu orientador para fazer um doutorado no exterior.

Sábado, recebi um email de um ex-professor com chamadas de bolsa. Li rapidamente e vi que tinha as qualificações. Então, fui ler o edital e: "Ser docente de carrera o de planta, o personal administrativo de una universidad iberoamericana." A expectativa se transformou em frustração.

Em outros momentos, descobrir que faltava alguma qualificação não me causaria emoção negativa, mas, hoje, essa necessidade está entrelaçada com o desejo ardente de descobrir o que fazer com minha vida — e por essa razão o desespero me dominou. Isso significa que eu ainda tenho um longo caminho a percorrer.

"Onde está o coração, ali reside o impedimento."

O desejo por dinheiro, fama e sucesso não é o único a ser culpado por perdermos o nosso auto-controle. O desejo ardente por qualquer coisa é capaz de nos fazer perder a razão, nos deixar cegos(as) e, repetidamente, nos leva ao desespero.

Eu estou no controle dos meus desejos, ou eles estão me controlando?


Conecte

Gostou? Aperte o ❤ para que outras pessoas descubram este texto.

Aproveite e me siga no Twitter.