Estoicismo Diário #65 —A falácia narrativa

"Em público, evite falar de forma excessiva e frequente sobre suas conquistas e perigos, por mais que você se delicie ao recontar as situações, não é tão interessante para outros ouvir sobre seus negócios."
— Epictetus

Criar histórias faz parte do repertório natural dos seres humanos. É assim que passamos adiante a cultura, as vitórias dos heróis e o colapso dos grandes impérios e civilizações.

Sem perceber, também criamos histórias diariamente, sobre nós, sobre nosso passado, sobre o que poderia acontecer. Muitas dessas histórias fazem sentido, mas estão repletas de relações falsas.

Falácia narrativa, como proposta por Nassim Taleb, é a tendência de aglomerar eventos não-relacionados em uma história coesa. Um passado ordinário vira uma narrativa gloriosa de superação e super-poderes.

Epictetus chama nossa atenção para o outro lado de contar as nossas histórias: é entediante, irritante e fala apenas de nós — normalmente, falácias narrativas. Dominamos a conversa e fazemos tudo girar em torno da nossa vida. É ótimo para o ego, sem sentido para quem ouve.

Quando estamos com alguém, nós devemos nos conectar ao invés de montar uma peça de teatro em que somos o personagem principal.

Aplicação pessoal

Todo mundo gosta de falar de si mesmo (eu inclusa). Às vezes, é positivo contar nossa história, se o intuito é ajudar alguém a encontrar um caminho ou uma saída ou para fornecer um contexto. Mas na maior parte do tempo, apenas entedia o ouvinte.

Infelizmente, em uma era que afirmam que você precisa se vender para conseguir alguma oportunidade, virou regra falar de si mesmo o tempo todo. Falar, falar, falar — esse é o lema. Não existe mais espaço para ouvir alguém, entender e criar uma relação mutuamente proveitosa.

Silêncio não é constrangedor, ele é preferível a ouvir a conversa chata sobre como você é legal, rico(a), caridoso(a), tem muitos amigo/as, é uma pessoa maravilhosa e genial, e como você viveu por 2 semanas em New York. Além disso, silêncio é um indicativo que uma pessoa se sente confortável na presença da outra.

Quando quiser contar a sua história para alguém, pare e reflita: isso seria vantajoso para ela ou apenas serviria para alimentar meu ego?

Reaprenda a ouvir, conversar e se conectar com alguém ao invés de encenar uma vida épica o tempo todo.



Gostou? Aperte o ❤ para que outras pessoas descubram este texto