Estoicismo Diário #94 — Não deixe o poder subir à cabeça

"Garanta que você não será feito 'Imperador', evite aquela marca imperial. Isto pode acontecer a você, então se mantenha simples, bom, puro, pleno, um amigo da justiça, temente a deus, gracioso, afetuoso, e forte para o seu verdadeiro trabalho. Lute para se manter a pessoa que a filosofia deseja fazer de você. Reverencie os deuses e cuide uns dos outros. A vida é curta — o fruto desta vida é um bom caráter e os atos para o bem comum."
– Marco Aurélio

Marco Aurélio não nasceu imperador. Na verdade, a sua coroação pode ser comparada com ele sendo jogado na cova dos leões ou sendo empurrado para o trono.

Mas isso não muda o fato que, de um momento para outro, ele era o homem mais rico do mundo, o comandante do maior exército da terra, governador de um dos maiores impérios que existiu — considerado um deus entre os homens.

Por esta razão, ele escreveu para si mesmo um lembrete de continuar sendo quem era, quem a filosofia esperava que ele fosse. Um lembrete para controlar a percepção de si mesmo e não se entregar aos devaneios de grandeza como aconteceu com Nero ou Calígula ou Alexandre, o Grande.

Marco Aurélio continuou sendo o homem que era — e hoje é lembrado como um dos maiores imperadores romanos.

Se você quer conhecer alguém (ou a si mesmo(a)), dê a esta pessoa o poder. Poder e sucesso nos sobem à cabeça facilmente, acreditamos que somos melhores do que realmente somos, que podemos agir como quisermos. Destruímos nosso caráter porque abandonamos a razão.

Não importa se a boa fortuna bateu às nossas portas, devemos sempre seguir o caminho da razão, ou viveremos uma vida inútil e vergonhosa.

Aplicação pessoal

Quem já assistiu Back to the Future se lembra do DeLorean DMC-12. O carro futurista usado por Doc Brown como máquina do tempo. O que muitos provavelmente não conhecem é a história por trás da empresa.

John DeLorean abandonou a GM Motors para produzir sua própria linha de carros. A empresa foi fundada em 1975 e faliu em 1982. A razão? O enorme ego de DeLorean e o seu delírio provocado pelo poder. DeLorean não sabia se gerenciar, como consequência, também não sabia gerenciar os outros. O resultado foi o verdadeiro fracasso da sua empresa, a vergonha e um sonho perdido.

A incapacidade de controlar a si mesmo levou John a falhar de todas as formas possíveis — e é isso o que acontece quando deixamos que o poder suba à nossa cabeça.

Devemos ser como Marco Aurélio e nos lembrar quem realmente somos e quem devemos ser: uma pessoa de bom caráter cujo objetivo é fazer boas ações, e não um otário megalomaníaco que apenas prejudicou a si mesmo e perdeu o dinheiro de milhares de pessoas.