Como ser uma pessoa mais amável: 4 dicas dos estóicos

Você quer ter relacionamentos melhores?

Então você deveria pegar alguns conselhos com os estóicos.

Eu sei, pode parecer completamente sem sentido dizer "ok, aqui algumas ideias estóicas para você ser uma pessoa mais legal", afinal, todo mundo usa o adjetivo estóico como sendo algo ruim. Alguém sem emoções, frio e inabalável. Não parece o ideal quando você quer relacionamentos melhores.

Vamos destruir esse mito.

Estóicos têm emoções, por mais chocante que isso possa parecer.

A diferença entre uma pessoa estóica e uma pessoa normal é que a estóica sabe diminuir a influência das emoções negativas, valoriza as virtudes e tem um auto-controle de causar inveja. Coisas importantes para ser alguém mais simpático.

1. Não é sobre você (ou como ser uma companhia mais interessante)

"Em conversas, evite mencionar frequentemente e excessivamente suas ações ou perigos que correu. Porque, mesmo que seja agradável para você ouvir sobre si, não é agradável para os outros ouvir suas aventuras." 
Epictetus

Simples e óbvio: pare de falar sobre você.

Eu sei que é maravilhoso ouvir sobre si mesmo(a). Inclusive, a neurocientista Diana Tamir descobriu que ouvir sobre como maravilhoso(a), legal e genial você é traz sensações melhores do que comida e dinheiro.

Mas, fora você, quem liga? Os outros querem falar deles. E se você quer ser uma pessoa mais simpática, cale a boca e deixe-os aproveitar a oportunidade de se sentirem bem.

2. O auto-insulto (ou como evitar brigas e discussões)

"Se alguém lhe disser que outro falou mal de você, não invente desculpas em relação ao que foi dito, apenas responda: 'Ele é ignorante sobre minhas outras falhas, senão ele não teria mencionado apenas essas.'"
 — Epictetus

Insultos e reclamações podem escalar rapidamente para discussões e brigas sérias.

Um estóico jamais responderia um insulto com outro insulto, ele responderia como sugere Epictetus: admitindo não apenas aquela falha, mas outras.

E por que você agiria assim? Primeiro, porque você evitaria uma briga sem sentido e os sentimentos de ninguém penderiam para o lado negativo; segundo, porque você começa a treinar o auto-controle e seu psicológico se torna mais resiliente; e terceiro, porque, se não foi dito por um babaca, talvez o insulto tenha algum feedback útil.

Se lhe disserem que você é tão estúpido quanto um poste, admita que na verdade você é muito mais estúpido que um poste (mesmo que você não seja).

Use o humor depreciativo para aliviar uma situação e treinar seu auto-controle ao mesmo tempo.

3. Ouça o anjinho (ou como não falar besteiras)

“Podemos remover a maioria dos pecados se tivermos uma testemunha ao nosso lado quando pensamos em fazer algo errado. A alma precisa ter alguém a quem ela respeita, cujo exemplo ela transforma em um inviolável santuário interior. Feliz é aquele que pode melhorar os outros, não apenas quando presente, mas mesmo nos pensamentos!”
 — Sêneca

Quando você está sendo observado(a) por alguém, como você age?

Provavelmente pensa duas vezes antes de fazer algo errado ou fazer aquilo que disse que não faz mais (tipo comer aquele chocolate mesmo estando de regime) ou fofocar sobre alguém.

Imagine que você está sendo vigiado(a) por alguma pessoa virtuosa, como Cato, o Jovem, Lúcio Sêneca, Marco Aurélio ou sua avó.

Tenho certeza de que você pensará quatorze vezes antes de fazer ou dizer algo, ou se comportar de forma errada. Você será uma companhia muito mais saudável para as pessoas ao seu redor.

Só não desenvolva mania de perseguição.

4. Todos são parte da sua família (ou como lidar com as pessoas)

"Hiérocles nos convida a imaginar uma série de círculos concêntricos, onde nós estamos no meio, o próximo círculo é nossa família, o próximo são nossos amigos, então nossos companheiros cidadãos, então o resto dos habitantes do país e, por fim, toda a humanidade. Então, ele diz para mentalmente trazer os círculos mais externos um pouco mais para perto. Isso significa que você está tentando se lembrar que todos são humanos, que você deveria se importar com todas essas pessoas do mesmo modo que você se importa com sua família e amigos."
 — Massimo Pigliucci

Tendemos a não nos importar com as pessoas que não são parte da nossa família ou dos nossos círculos de amigos. Podemos até mesmos não nos importar com certas pessoas dos nossos círculos mais próximos.

Pensemos, o que aconteceria se você passasse a ver todas as pessoas como sendo parte da sua família?

Quando você é rude com alguém, se essa pessoa não for estóica, ela provavelmente será rude com você. Mas se você a trata com atenção, até a mais grosseira acabará ficando mais suave se você insistir por tempo suficiente (e se ela não for um completo babaca).

Ao invés de ver os outros como ameaças ou como pessoas não importantes, os veja como familiares e os trate com gentileza. Cedo ou tarde, essas pessoas responderão da mesma forma.

Ou nas palavras de Marco Aurélio: responda com gentileza mesmo às pessoas mais insuportáveis, não existe outra resposta válida.

Conclusão

  1. Não é sobre você — Deixe-me falar sobre mim, ok? É muito mais divertido e você vai parecer alguém muito legal por estar ouvindo.
  2. O auto-insulto — Acredite, eu já escrevi coisas muito piores do que este texto.
  3. Ouça o anjinho — Vovó está de olho, crianças.
  4. Todos são parte da sua família — Trate as pessoas com gentileza e eles provavelmente responderão do mesmo jeito.

Você vai virar o Dale Carnegie da noite para o dia ao aplicar essas ideias? Claro que não, e esse não é o objetivo.

O objetivo, parafraseando Sêneca, é: “Não me peça para ser perfeito; só me peça para ser melhor do que eu era ontem.

Conecte

Gostou? Clique no ❤ para que outras pessoas descubram este texto.
Quer receber emails com dicas e textos?
Clique Aqui