Big brother corporativo e competitividade interna

Pelo título pode parecer que vamos falar sobre as espionagens em uma empresa, mas na verdade vamos tratar de um outro assunto que também é abordado no big brother que é a competitividade ou a competição em si.

Muitas empresas tem em suas práticas uma certa fomentação pra este tipo de competição para que os seus recursos possam se atualizar, alcançar maiores desafios dentro da empresa e logo assumir cargos maiores ou assumir mais funções.

Quando a empresa tem maturidade para tal prática veremos em suas políticas 2 coisas em comum a primeira uma política de cargos e salários e a segunda seria um plano de carreira. O ponto positivo disto é que a relação entre empresa e funcionário será estabelecida de forma que o funcionário entenda onde a empresa quer que esse funcionário chegue e também que suas expectativas profissionais estejam em acordo com o esperado.

Tanto em startups quanto empresas de médio e grande porte este assunto pode não ser tratado, porém o fator humano está presente em cada empresa e em sua natureza inconscientemente é criada uma cultura competitiva. Porém, há uma diferença entre a grande empresa e uma startup ou pequena empresa. Essa diferença é a quantidade de cargos, a sinergia, a experiência e a cultura da empresa.

Em startups ( em seu inicio de atividades ) a competitividade tende a não existir no âmbito profissional pois temos 1 pessoa para cada cargo o que causa uma sensação colaborativa, participativa, as pessoas são colocadas em um processo onde cada um cuida de uma necessidade da empresa e só interferem uma na outra de forma processual. Já em uma empresa com mais funcionários e mais cargos do mesmo tipo temos um fator negativo que ao termos os pares passamos a ter a (maldita ou bendita) comparação, porém não sabemos o que é comparado ao certo em uma empresa em uma empresa “imatura” neste assunto. Sendo assim, o funcionário poderá comparar-se segundo os critérios pessoais, seus valores, etc. E isso ocorrerá por exemplo ao comparar que determinada pessoa tem mais facilidade em comunicar-se com o gestores ou demais colegas de trabalho, ou tem mais afinidades. Podemos também exemplificar onde as aptidões técnicas apesar de diferenciadas em alguns casos pode ser que a empresa valorize mais uma determinada aptidão.

Neste caso o funcionário deveria ter uma reação positiva de procurar no outro aquilo que o falta, porém nem sempre é assim. E este mesmo funcionário na verdade criará uma reação de descontentamento com o funcionário que o afeta e também com as pessoas que o cercam ( principalmente se forem gestores )

Vamos tratar então abaixo do que considero ser os diversos tipos de competidores dentro de uma empresa:

1- O Idealista : Este tipo de funcionário idealiza e espera muitas coisas da empresa. Logo tende a desmotivar-se com frequência e também causa desconforto em seus pares, pois está sempre em busca de melhorias e muitas vezes isto é visto com maus olhos. Porém é um funcionário que tende a ser um bom contribuinte.

2- O Militante ou Reacionário : Este funcionário entende que todas as ações da gestão e dos colegas de trabalho são alguma forma de teoria da conspiração. Nesse caso, este tipo de funcionário tende a cuidar muito do próprio “queijo” ou da própria mesa e um gestor ao ter contato com este tipo de funcionário deve tomar muita cautela e também clareza nas intenções da empresa para com ele e o grupo. Até uma mudança de mesa vale a pena explicar o real motivo pra que não tenham interpretações diferentes e tenhamos uma revolução. Este funcionário tende a ser um excelente executor, afinal ele tende a cuidar do que é dele.

3- O Atacante : Este funcionário é o do mês. Não mede esforços para estar pronto para o batente, sempre muito solicito. E vendo desta forma queremos pessoas assim em nossas empresas. Porém este tipo de funcionário tende a ir de acordo com a “maré” e muitas das vezes pouco desenvolvem um senso crítico de que “estamos fazendo a coisa errada” ou até mesmo não se desenvolve pra ir além do esperado / solicitado. O gestor também deve acompanhar este funcionário pra cativar neste perfil o senso de responsabilidade deste funcionário pra que ele não apenas faça, mas também proponha melhorias e busque seu lugar na empresa não somente em reconhecimento financeiro, melhores cargos mas que também tenha uma missão individual e coletiva com a empresa.

4- O Acomodado : Este funcionário é aquele que está sempre ali. Entra gente e sai gente e ele sempre está fazendo as mesmas coisas e é um conhecido de todos. É uma máquina porém sem instrução nenhuma máquina funciona, sendo assim, segue o mesmo padrão que o atacante, porém não tem proatividade. A única preocupação é manter o emprego e ficar os devidos anos para receber uma aposentadoria “bacana” no final da vida. Ele não parece um competidor mais é.

5- O Dono do pedaço : Este funcionário é ciumento e possessivo. Ele tem as coisas funcionando da sua forma e não gosta de mudanças (há não ser que seja proposta por ele). Para este funcionário é um fator ofensivo querer mudar algo que está sobre o seu controle pois isso pode ser perda de espaço ou talvez não se sinta necessário. Este tipo de funcionário deve ser abordado assim como o reacionário, mas de forma a evidenciar que ele ainda é importante para a empresa e que ele fará parte daquela conquista também.

Todos esses tipos são necessários de alguma forma, cada um tem o seu valor e de certa forma trazem um “Equilíbrio” para a organização quando tratados da forma correta, a competição deve estar sempre no âmbito profissional de forma que cada um queira crescer profissionalmente e não competir quem é melhor em determinadas coisas. O objetivo quem é apto/preparado a estar neste cargo, neste momento da estratégia da empresa e como poderemos preparar também os pares para estar também nessa posição de destaque. É muito importante pra empresa desde pequena criar sua cultura e sua política de convivência em ambiente de trabalho. Procurando ser o mais clara possível com o funcionário pra que este saiba pra onde ir e onde a empresa está indo. Este fator é com certeza terá como resultado uma melhor qualidade de vida, de funcionários, de relações e logo retenção de pessoas.

Vocês tem mais tipos de funcionários, acredito que sim! Compartilhe conosco se puder, comente abaixo. Nós também queremos aprender com vocês.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Collour Labs’s story.