Lula versus Cunha, ou: Rin-tin-tin versus o seu totó

Eu estava agora há pouco pensando por escrito no twitter, e pensei o seguinte: numa ordem mística de ladrões — digamos, numa maçonaria de ladrões — que tenha o Lula como Grão-Mestre, Eduardo Cunha é o Aprendiz. A @iedamarcondes começou a pensar comigo, e descobrimos que essa ordem de comparação, além de justa, é fecunda:

Ieda: numa analogia com os Caça-Fantasmas, o Cunha é o Rick Moranis possuído, e o Lula é o Zuul.

Eu: numa com o Senhor dos Anéis, Lula é o Sauron, e Cunha é um daqueles orcs que morrem na primeira meia-hora.

Ieda: em Narnia, Lula é a bruxa branca, e Cunha é o anão malvado.

Eu: no Mágico de Oz, Lula é a Bruxa do Oeste, e Cunha é a Sra. Gulch.

Ieda: na Caverna do Dragão, Lula é o Vingador, e Cunha é o Mestre dos Magos (que eram a mesma pessoa, não, péra).

Eu: em David Copperfield, Lula é o Sr. Murdstone, e Cunha é Uriah Heep.

Ieda: em Oliver Twist, Lula é o Fagin, Cunha é um dos pivetes.

Eu: na Bela Adormecida, Lula é a bruxa, Cunha é o corvo.

Ieda: nos Simpsons, Lula é o Sr. Burns, Cunha é o Smithers.

Eu: no Poderoso Chefão, Lula é o Michael, Cunha é o Freddo.

Ieda: em Kill Bill, Lula é o Bill, Cunha é o Bud.

Eu: em Guerra nas Estrelas, Lula é o imperador, e Cunha é o Jabba.

Eu: em Cinderela, Lula é a madrasta, e Cunha é o gato pentelho.

Ieda: em Domingão do Faustão, Lula é Faustão, Cunha é caçulinha.

Aqui, obviamente, entreguei os pontos, e a dama levou a palma.