Assistir ou participar?

Observar é o que mais fazemos no trabalho de traduzir. A gente observa para tentar entender e ter elementos suficientes para produzir as pontes que ajudam uma cultura a chegar na outra, possibilitando o diálogo entre autores e leitores (mesmo sendo escrita para ser lida, uma tradução é sempre uma tentativa de dialogar). Por isso observo leitores, autores, criadores vários, meus pares, colegas e amigos, tudo na tentativa de entender melhor meu ofício e como eu posso inferir nele.

Como acabo assistindo muito mais que participando das coisas, gosto de aproveitar as oportunidades de integração quando elas surgem. E acabo de voltar de São Paulo, onde tive a dupla oportunidade de assistir ao congresso da ABRATES e participar do Barcamp que aconteceu lá no mesmo período.

Conhecer e encontrar os pares é uma das melhores formas de crescer na profissão. Não só pelas possíveis parcerias, oportunidades de trabalho, pelo potencial de aprendizado, mas também pela segurança que conhecer outros profissionais pode trazer, ao vermos o modo como trabalham e lidam com os pares e as questões do dia a dia da profissão. A gente aprende com palestras, mas o “corredor” não deve ser desprezado: mais uma vez ele me rendeu conversas tão boas quanto algumas das palestras assistidas no congresso.

Só os colegas entendem exatamente o que passamos todos os dias

Nada bate o contato direto com as pessoas, por mais recursos que a Internet ou outros meios de contato e aprendizado ofereçam. É como a prática da tradução depois de aprender a teoria: só o processo real de traduzir no dia a dia vai consolidar a base teórica. E dar corpo e forma ao que apenas imaginamos ser a vida da tradutora bem-sucedida, do intérprete estabelecido, do profissional verdadeiramente independente, ajuda a dimensionar e situar nossos próprios objetivos.

Quando nos vemos frente a frente com essas pessoas, é inevitável fazermos comparações em nossas mentes, afinal vivemos em uma sociedade em que a competitividade ainda é mais valorizada que o desenvolvimento pessoal conforme as necessidades e desejos de cada um(a). E uma das razões mais fortes que me fizeram decidir abrir mais canais de comunicação direta com os pares foi promover a empatia. Inclusive em relação a si mesmo(a), entendendo que todos temos limitações, cada caminho é único e comparações podem apenas oferecer possibilidades.

A fórmula que mais se aproxima deste tipo de contato, sem ser a presencial, é a conversa on-line. Foi assim que surgiram dois projetos nessa linha, de encontros on-line semanais no Discord, o Comunicaminhos e a Sala de aula on-line do OmegaT. Para quem não conhece o Discord, ele é um aplicativo de mensagens para conversa por escrito e por voz. Era usado principalmente por gamers, para conversar durante o jogo, mas já está sendo adotado por empresas para fins profissionais. Funciona no navegador ou pode ser baixado no computador ou celular (clique aqui para saber como usar).

Discord: passo a passo animado para entrar

Na outra semana, por exemplo, tivemos uma ótima conversa no Discord, dentro do grupo Comunicaminhos, sobre networking, o Congresso da ABRATES, o Barcamp de São Paulo que foi no mesmo período do Congresso e o Barcamp Nacional, que vai acontecer em outubro em Curitiba.

Nos bate-papos do Discord a conversa costuma ir longe, às vezes além do tema combinado: falamos até deste artigo do Thiago Araujo, que explica o procedimento para usar o celular ou tablet na conversão de voz para texto. A pessoa pode ditar aquilo que deseja ver escrito em qualquer programa no computador, incluindo CAT tools. Este artigo que você está lendo, por exemplo, foi todo escrito usando esse método. Nesse caso específico, eu ditei o texto para o messenger do Facebook, enviando uma mensagem para mim mesma, e depois copiando o texto no Medium. Para quem acha que ditar textos desta forma exige muitas correções, sugiro que experimente e veja o resultado: você pode se surpreender.

A conversa sobre o OmegaT acontece de forma similar: usamos uma plataforma on-line para manter os recursos e materiais relacionados ao aprendizado de uso da ferramenta e conversamos por voz semanalmente para tirar dúvidas pontuais. Quem quiser participar das conversas sobre o OmegaT ou das discussões do grupo Comunicaminhos, veja esse pequeno tutorial para entrar no Discord. Esperamos ver você por lá!