Teoria do Conceito

Segundo Ingetraut Dahlberg

Em sua Teoria do Conceito, Dahlberg apresenta o conceito como a soma dos enunciados verdadeiros e essenciais sobre um referente, e o termo como a forma comunicável e representável do conceito.

Segundo a autora, o conceito é formado por três elementos:
Referente (aquilo que se pretende conceituar);
Características (soma dos enunciados verdadeiros sobre o referente);
Forma verbal

Dahlberg distingue os conceitos em diferentes tipos
Conceitos gerais: aqueles que apontam para todos os itens de um determinado tipo (Gênero — exemplo: todos os livros); 
Conceitos especiais: aqueles que apontam para alguns itens de um determinado tipo (Espécie — exemplo: alguns livros); 
Conceitos individuais: aqueles que apontam para um único item de um determinado tipo (Indivíduo — exemplo: um livro)

Dahlberg também distingue os conceitos em tipos de características: Essenciais: características encontradas em todos os referentes de um determinado conceito; 
Acidentais: características encontradas em alguns referentes de um determinado conceito;
Individualizantes: características encontradas em um único referente de um determinado conceito.

Para Dahlberg, as categorias são fundamentais na organização dos conceitos, pois participam da organização de sua estrutura. As categorias propostas por Dahlberg são baseadas nas categorias de Aristóteles e totalizam quatro que, por sua vez, são subdivididas em mais três subcategorias cada uma.

Correlação entre as categorias conceituais de Aristóteles e Dahlberg

Na Teoria do Conceito, Dahlberg também propõe a definição de intensão e extensão de um conceito a partir da noção de característica. 
Intensão de um conceito é a soma total das suas características. Ou seja, a soma total dos conceitos mais genéricos mais as características específicas do conceito. 
Extensão de um conceito é a soma total dos conceitos mais específicos e seus respectivos conceitos individuais.

Existem vários tipos de definições, mas a distinção entre definições nominais e reais é a mais frequentemente abordada. Segundo Dalhberg, “a definição nominal tem por fim a fixação do sentido de uma palavra, enquanto que a definição real procura delimitar a intensão de determinado conceito distinguindo-o de outros com idênticas características”.

A definição nominal relaciona-se com o conhecimento contido na linguagem. Exemplo: Demo (povo), cracia(poder). A Democracia é o poder do povo.
 A definição real relaciona-se com o natureza do objeto. Exemplo: O computador é um ordenador de informação. 
__________________

Para saber mais: 
DAHLBERG, I. Teoria do conceito. Ciência da Informação, v. 7, n. 2, p. 101–107, 1978. Disponível aqui 
MELO, Maria Antônia Fonseca; BRÄSCHER, Marisa. Termo, conceito e relações conceituais: um estudo das propostas de Dahlberg e Hjorland. Ciência da Informação, [S.l.], v. 43, n. 1, june 2015. Disponível aqui.

Like what you read? Give Kelly Lima a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.