Como aprender e produzir sem enlouquecer

Algumas técnicas para facilitar o aprendizado contínuo

Image for post
Image for post

Quais são as coisas mais importantes que podemos fazer na vida? Enriquecer? Ter uma família? Mudar o mundo? Obter todo o conhecimento do mundo?

De tudo que é possível ter, algo que eu acredito que é muito importante para nós, como seres humanos, é a constante evolução, seja em alguma área pessoal ou profissional.

Gostaria de abordar aqui no Blog um tema que me fez e faz pensar bastante, que é o aprendizado contínuo. Inúmeras vezes me peguei incerto de como fazer algo, como aprender algo novo, e por não ser uma pessoa autodidata, tinha muitos problemas em aprender sozinho.

Assim como qualquer profissional de qualquer área, hoje em dia nós, profissionais da área de TI, estamos numa constante procura por adquirir novos conhecimentos. Recentemente comecei a estudar metodologias para deixar meu aprendizado mais consistente e relevante, afinal de contas, não adianta muito aprender e não aplicar, não é mesmo? E no fim a diferença entre quem tem conhecimento e não o põe em prática e quem não o tem, não é muito grande.

Então, vamos ao que interessa, como posso aprender mais? Consigo aprender mais em menos tempo? Antes de tudo é bom avisar que este texto não é uma receita de bolo simples, e a minha opinião aqui não é uma verdade absoluta. Estou apenas compartilhando o que serve para mim e que talvez sirva para você ou como um modelo para que você desenvolva um método de aprendizado que sirva para você. Afinal, somos diferentes e também aprendemos de maneiras diferentes, certo?

Na minha busca por teorias neste contexto, encontrei essas pessoas que chamaram minha atenção: Feynman, Pierluigi, David Goggins e T. Harv Eker. Dentro das abordagens de cada um na sua área, que nem sempre está relacionada ao aprendizado propriamente dito, peguei partes dos métodos que se repetiram, às vezes explicitamente, às vezes implicitamente.

E a principal lição aprendida é:

Não existe receita mágica, você não vai ler ou ouvir uma única vez e vai gravar para sempre o conteúdo.

Dentro dessas teorias, talvez você possa acreditar que o primeiro passo foge um pouco do assunto… Mas se você praticar vai ver que é o principal: o “princípio da autorresponsabilidade”.

Você é resultado das suas atitudes. Por vezes, pessoas podem te influenciar (porque você permite), então se hoje sou o que sou, é porque eu escolhi ser assim, assim como se você não sabe determinado assunto, é porque você não optou por aprendê-lo até então ou se hoje estou acima do peso e me sinto mal ou isso está causando algum problema de saúde (lembrando que não é um problema se você se sente bem com seu corpo e isso não lhe causa mal algum) isso é resultado, provavelmente de má alimentação com vida sedentária e talvez predisposição. Então, enxergue que você tem limitações, reconheça seus erros e tenha paciência com você mesmo. Você não vai virar um expert em determinado assunto do dia para noite. Se você não sabe algo, vai ter que estudar. E sabe o que é melhor? Você vai conseguir se perseverar.

Outro ponto em comum entre alguns desses caras: você na maioria das vezes vai estudar sozinho, lembrando aqui que estudar é diferente de ter aula ou qualquer outro meio de “input”. O que nos leva a outro ponto: tenha um ambiente para estudar, de preferência algum lugar que seja confortável e sem distrações e tente implementar uma rotina com um tempo estabelecido. Assim, quando tivermos pensamentos que nos levam a procrastinar, podemos “negociar” com nossa mente que será só aquele período que já estabelecemos e deixar para outro momento essas outras atividades que sempre aparecem nas nossas mentes (pelo menos na minha aparece sempre).

Mas por que estudamos a maior parte do tempo sozinhos? Porque não somos computadores, outra pessoa não pode inserir conhecimento na nossa mente e simplesmente gravarmos esse conhecimento. Precisamos ouvir, ver alguém fazendo, escrever/sintetizar o que aprendemos (os principais pontos) e tentar ensinar para alguém ou fingir que está ensinando. Importante enfatizar que, em todas as metodologias que vi, as pessoas escreviam bastante, seja resumos, anotações do que é importante, criando uma aula para alguém que não sabe nada do assunto, fingindo ensinar uma criança, etc. Com a escrita, você treina sua mente. Fazendo uma analogia, digitando você grava no HD do computador, escrevendo você grava no seu HD (cérebro).

Um degrau de cada vez, acredito fielmente que essa é a jornada do sucesso para aprender constantemente. Quando for começar a estudar algo, seja específico. Por exemplo: se eu decidir estudar computação, não consigo sintetizar tudo sobre computação em pouco tempo, mas talvez eu consiga aprender bastante sobre Loops, caso esteja começando, ou talvez eu consiga aprender sobre Arquitetura de Software, caso já tenha algum conhecimento na área. Junte um bom material sobre o assunto em pouco tempo, certifique-se que é de confiança e tire um tempo para estudar e sintetizar o que aprendeu nesse período.

E por último uma dica que pode potencializar seus resultados com o tempo: desenvolva o hábito de ler. Não leia somente conteúdo técnico, leia coisas que você gosta, leia livro de ficção científica, leia romances, autoajuda, contos, poesias, jornais, HQ, mangás… Mas leia. Com o tempo você vai ter um vocabulário mais rico, e seu poder de sintetização será maior. E caso seja um livro que te dê ações práticas, ponha em ação, só assim você vai conseguir aprender de fato.

Como disse inicialmente, esse não é um método científico, mas é o que tem me ajudado a aprender continuamente. A parte central do conteúdo deve-se ao cientista Feynman, mas eu não quis abordar explicitamente a técnica que tem seu nome (ora ora, temos um Xeroque Rolmes aqui) e ao professor e neurocientista Pierluigi. Os demais peguei de suas ideias que serviam para outras abordagens, pontos que se repetiam e os adaptei para minha realidade. Vou deixar aqui alguns links de livros, artigos e vídeos dos mesmos ou que abordam as metodologias. Se você quiser saber mais, pode dar uma olhada nestes links:

E você? Tem alguma técnica para facilitar o aprendizado? Compartilhe aqui nos comentários. E se quiser fazer parte de um time que está aprendendo junto todo o tempo é só clicar aqui para saber mais sobre a Concrete aqui e deixe o seu currículo. Até a próxima!

Concrete

Nós desenvolvemos produtos digitais com inovação, agilidade…

Diogenes Victor Medeiros Rabelo

Written by

Desenvolvedor web — Cristão — Casado — Aprendendo sempre.

Concrete

Concrete

Nós desenvolvemos produtos digitais com inovação, agilidade e excelentes práticas, para que o mercado brasileiro e latino-americano acompanhe a velocidade do mercado digital mundial.

Diogenes Victor Medeiros Rabelo

Written by

Desenvolvedor web — Cristão — Casado — Aprendendo sempre.

Concrete

Concrete

Nós desenvolvemos produtos digitais com inovação, agilidade e excelentes práticas, para que o mercado brasileiro e latino-americano acompanhe a velocidade do mercado digital mundial.

Medium is an open platform where 170 million readers come to find insightful and dynamic thinking. Here, expert and undiscovered voices alike dive into the heart of any topic and bring new ideas to the surface. Learn more

Follow the writers, publications, and topics that matter to you, and you’ll see them on your homepage and in your inbox. Explore

If you have a story to tell, knowledge to share, or a perspective to offer — welcome home. It’s easy and free to post your thinking on any topic. Write on Medium

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store