Como verificar se o planejamento empresarial está funcionando?

É possível que você já tenha lido muitos artigos sobre a importância do planejamento estratégico. Realmente, trata-se de um ponto fundamental para o êxito de uma empresa, que determina até onde o negócio quer chegar e o que precisa ser feito para o alcance desse objetivo. Assim, ele funciona como um mapa em direção ao sucesso.

Mas o que nem todos os conteúdos falam é que o planejamento é apenas o primeiro passo rumo aos bons resultados. Após a conclusão do documento, é necessário acompanhar cada etapa para verificar atentamente o que está ou não funcionando, dar sequência à implantação de medidas ou corrigir a rota.

E você, sabe como verificar o andamento do planejamento empresarial? Conhece as melhores práticas ou ferramentas que contribuem para uma avaliação precisa? Quer descobrir quais são elas? Então, continue a leitura deste post e confira!

Coloque o plano na pauta do dia

Esta deveria ser uma medida óbvia, mas infelizmente não é isso que acontece. Depois de todo o trabalho de elaborar o documento, muitas empresas simplesmente guardam o planejamento na gaveta e ele deixa de ser efetivo.

Não é incomum que uma boa parte da equipe não conheça a missão e a visão da organização, bem como suas principais metas. Portanto, a primeira prática essencial é trazer o planejamento para as conversas e reuniões da empresa, revendo suas propostas e acompanhando seu cumprimento.

Compare o planejado com o realizado

Destaque as metas que foram estabelecidas para cada departamento. Recorra aos dados e relatórios e verifique quais delas foram alcançadas — e em quanto tempo. Isso é fundamental para avaliar a pertinência e a relevância do plano.

Se tais objetivos foram atingidos muito rapidamente ou com grande facilidade, é possível que as oportunidades do mercado ou a capacidade da equipe tenham sido subestimadas. Neste caso, é preciso pensar em alvos maiores.

Planejamento Empresarial

Mas, se a análise mostrar o contrário — as metas não foram alcançadas e estão longe do programado — , a situação exige ainda mais cuidado. Os gestores precisam entender se o cenário exterior foi mal avaliado ou se há falhas internas impedindo a concretização dos planos.

Estabeleça parâmetros de comparação

Para analisar a situação da empresa com propriedade, é importante comparar os dados com alguns parâmetros estabelecidos. Observe se houve crescimento nos meses anteriores e se a produção e o faturamento condizem com o que se espera para o período do ano em questão, ou seja, se seguiu o projetado no Orçamento de Vendas, por exemplo.

Também é essencial comparar os resultados do momento com aqueles registrados no passado. Além disso, busque obter índices sobre o desempenho de outras companhias do mesmo setor para entender se seus números estão compatíveis com a realidade do mercado.

Oriente-se por métricas

A avaliação de sucesso de um planejamento não pode ser subjetiva, pautada apenas na percepção do gestor ou das equipes. É importante que todos os aspectos sejam analisados a partir de métricas ou KPIs bem definidos.

É essencial definir as métricas que serão utilizadas para avaliar diferentes áreas. As empresas precisam estabelecer indicadores estratégicos, de produtividade, de qualidade, de capacidade e de resposta a processos.

Apesar de serem variáveis de acordo com o segmento em que a companhia atua, alguns exemplos são:

Métricas são fundamentais para identificar as ações necessárias. Um e-commerce, por exemplo, pode perceber que seu faturamento está aumentando, mas o ticket médio está caindo. A partir desta análise, é possível implantar estratégias de cross-selling e up-selling para conseguir que cada interação com o consumidor seja mais lucrativa.

Recorrer a ferramentas que automatizam tanto o cálculo quanto o controle referente a esses indicadores é uma prática recomendável. Com um sistema integrado, um software pode exibi-los automaticamente, tornando a análise muito mais simples.

Avalie a realização e a pertinência das ações

Ao verificar o planejamento estratégico, sua equipe encontrará algumas situações específicas:

  • ações que foram realizadas de acordo com o plano e tiveram o resultado esperado;
  • ações que foram realizadas, mas não tiveram o resultado esperado;
  • ações que não foram realizadas e, por isso, houve impacto no resultado;
  • ações que não foram realizadas, mas não houve impacto no resultado.

É fundamental que você consultor, sente com a equipe ou os diversos times responsáveis por essas ações e faça um levantamento das razões pelas quais elas tiveram sucesso ou não apresentaram o resultado esperado.

Todos devem ter a oportunidade de falar sobre os desafios enfrentados. Dessa forma, os gestores podem identificar se havia recursos materiais ou humanos para o cumprimento do plano e os obstáculos encontrados para a sua concretização.

Durante a análise, também é possível que o time identifique ações planejadas, mas que não fazem mais sentido. Pode ser que o mercado tenha mudado, ou que os mesmos objetivos tenham sido alcançados com outras estratégias.

O plano deve ser, então, atualizado, registrando o que foi feito para executar a estratégia, quais foram os resultados obtidos e por que determinadas ações foram abandonadas ou substituídas.

Adapte o plano ao mercado atual

Tão importante quanto analisar se o plano está funcionando ou não é avaliar sua adequação ao momento atual do mercado. Afinal, não adianta seguir direitinho o GPS se ele estiver levando ao destino errado, não mesmo?

Então, uma boa opção é utilizar outras ferramentas que auxiliam nessa análise. Um ótimo exemplo é a SWOT (ou FOFA). Com ela, será possível entender quais são as forças, oportunidades, fraquezas e ameaças com as quais a organização lida no dia a dia.

Planejamento Empresarial

Ao identificar as forças e fraquezas, a companhia descobre quais são os fatores internos que estão contribuindo para o alcance do sucesso ou impedindo que isso aconteça. Já as oportunidades e ameaças ajudam a entender o cenário externo e mostram os pontos que a empresa terá de enfrentar ou nos quais ela pode investir fortemente.

Utilize um software de controladoria para o planejamento empresarial

Convenhamos que o dia a dia de uma empresa é, geralmente, muito corrido. Os gestores têm uma série de atribuições — e gastar muito tempo “fiscalizando” o cumprimento do plano nem sempre é viável.

No entanto, é possível recorrer a ferramentas que automatizam esse controle. Um software de controladoria, por exemplo, é capaz de medir resultados, determinar métricas e analisar periodicamente os resultados. Ele permite as seguintes ações:

  • obtenção de relatórios gerenciais;
  • acompanhamento do planejado x realizado x histórico;
  • integração com o ERP e o setor de contabilidade da empresa, provendo dados de forma rápida e confiável;
  • exibição e controle dos indicadores de desempenho, por meio de gráficos;
  • elaboração de projeções, simulações e cenários.

O planejamento empresarial é o primeiro passo para o sucesso de uma organização. No entanto, é o acompanhamento que garante sua efetividade, tornando-o um instrumento para o aperfeiçoamento contínuo da companhia.

Gostou do post? Quer ler outros conteúdos como este? Assine nossa newsletter agora mesmo para receber sugestões e novidades diretamente em seu e-mail!


Originally published at Consultores de Gestão.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.