Sentir-se e amar-se por inteiro

Quando eu era pequeno, amava a sensação de descobrir o toque no meu corpo. As mínimas experiências sobre a pele eram como um mundo desconhecido.

Os meus dedos deslizavam pelo mapa do novo mundo. Um mundo cheio de possibilidades. O queixo sobre o ombro, macio e áspero, algo nunca vivido. Os cotovelos dançavam passando pela barriga, pelas coxas. Uma dança contorcida e prazerosa.

Nesses percursos, com o passar do tempo, a gente acaba por descobrir as regiões erógenas do corpo, o lugar comum do prazer pessoal. Quando eu passei a me descobrir por inteiro, percebi que o prazer e satisfação solitárias iam para além de algo sexual.

Eu pude me olhar no espelho e amar cada parte com a qual eu fui agraciado e ter a certeza de que posso ser pleno como já sou, com o que já possuo. Conhecer quem eu sou e o que sinto passou a ser a real sensação de arrepiar os cabelos.

Contra Argumento

The beer wants to be free

A P O L O is natanael freitas

Written by

Refresco de groselha, com sabor de limão, mas parece tamarindo.

Contra Argumento

The beer wants to be free

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade