Ou quando o sagrado se mistura com a bebida anterior

Eu gosto do seu sabor.

Sabe quando eu te beijei? Oh, Deus! Como esquecer a infinitude de um único segundo? Era como descer um tirolesa sobre o lago num piscar de olhos, mas sem perder toda aquela energia que vem do fundo da alma, perpetrada em gritos.

Isso não tem a ver exatamente com amor. Tem a ver com te sentir, com te conhecer. A comparação que Ezequiel, o profeta, recebeu em sua visão: são águas de um rio caudaloso e profundo. Te experimentar dá medo. Dá. Faz a gente se sentir perdido e confuso. É dúbio, é doentio, porém é tudo aquilo que o meu coração deseja.

Minha boca está seca, desejando ardentemente ser molhada pelo frescor dos lábios teus.

Eu chego a chorar, a pedir aos céus que me tomem, pois não posso te ter. Que mundo ridículo e traiçoeiro, nos traga e nos draga todo o sentir e o desejar.

O meu desejo bobo é me esvaziar por inteiro, ser completo oco para expurgar a dor e a tua beleza do meu interior.

Pudera eu ser vazio só para me encher por completo do teu melhor, do teu amor.

Contra Argumento

The beer wants to be free

A P O L O is natanael freitas

Written by

Refresco de groselha, com sabor de limão, mas parece tamarindo.

Contra Argumento

The beer wants to be free

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade