Um gás para continuar simplificando

Há dois anos, quando nasceu o Neon, nosso mantra essencial para a empresa era (e ainda é) simplificar, ser acessível, justo e transparente. Parece simplório, mas não é: reinventar um produto tão formatado quanto um banco é um desafio enorme.

Depois de alguns meses de conversas, e após a maior rodada de captação Series A entre startups brasileiras, esses valores que nos trouxeram até aqui foram essenciais para recebermos R$ 72 milhões para continuar fazendo a mensagem de serviços financeiros do Neon seguir firme e forte.

Essa grana será aplicada para pavimentar o caminho já traçado pelo Neon e o que está por vir. Vamos ampliar a oferta de serviços, melhorar ainda mais nossa capacidade tecnológica e de atendimento, e também desenvolver novas experiências financeiras.

Meu muito obrigado aos mais de 600 mil clientes que proporcionaram essa negociação que vai trazer muitas melhorias para o Neon. Temos a meta de chegar à 1 milhão de usuários até o final de 2018, e garanto que vamos conseguir.

E meu agradecimento enorme ao #TimeNeon que trabalha focado para o sucesso da empresa. Estamos cada vez maiores e mais completos, todos trabalhando pela mesma meta.

Motivadores

Nossa inquietude para crescer se baseia em algo muito simples: como fazer um negócio que se sustente, sem explorar o cliente. Por isso não temos mensalidades ou anuidade, e trabalhamos com taxas de serviços que são bem abaixo das praticadas pelo mercado (a transferência para outro banco, por exemplo, é R$ 3,50 — a primeira transferência no mês é gratuita).

Entretanto, ainda podemos fazer mais e estamos trabalhando para isso. Lançamos recentemente o cartão de crédito (já são 150 mil pedidos), vamos lançar em breve a conta para pessoa jurídica e novas formas de investimento. Além disso, muita coisa em nossa proposta de conta digital vai melhorar.

E tudo isso feito 100% para o smartphone, uma experiência completa e móvel. É uma quebra no paradigma dos bancos. O Neon não se digitalizou: nasceu digital.

Aos poucos, vamos crescendo e aprendendo cada vez mais com nossos usuários. Vamos investir mais em tecnologia e, novamente, em novos serviços e ofertas para equilibrar a proposta da concorrência na parte de taxas para serviços — e até zerá-las. E seguiremos oferecendo a melhor experiência possível para os nossos usuários.

Eu costumo dizer que um diferencial do Neon é que ele não foi fundado por banqueiros, mas, sim, por clientes. Isso tem um peso enorme na tomada de decisões, o usuário está sempre em primeiro lugar.

Claro que também levamos em conta o pilar de negócios, mas só construímos algo novo se, também, fizer sentido para nossos usuários.

Ainda temos um longo caminho pela frente, temos muito pra construir, mas podem ter certeza que vamos continuar trabalhando intensamente, e sempre pensando, primeiro, na experiência do nosso usuário e na solidez das ofertas de serviços.

Simplicidade, acessibilidade e transparência nos trouxeram até aqui. Certamente vão nos levar ainda mais longe, mas vamos adicionar a esses valores a melhoria contínua, a usabilidade incrível, trabalho em equipe e foco na meta para irmos adiante.

Meu muito obrigado pela confiança também à Propel Ventures, Monashees e Quona, que lideraram a rodada de investimentos, e também aos fundos Omidyar Network, Tera Capital e Yellow Ventures.

Like what you read? Give Pedro Conrade a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.