Retratos, mas não Meros

ENSAIO de Felipe de Marcos, Pré-Selecionado

Cada traço do rosto retrato, momento passado, mas cativado nos olhos daqueles que entendem o significado das histórias vivas que os cercam, traz aos poucos, o próprio reflexo.

Um sorriso dado a largas gargalhadas, os olhares profundos que nos fazem questionar a própria existência, gestos delicadamente desenhados aos pés de um altar, retratos vivos que tem dentro de si o passado de quem foi e o presente de quem é, e assim a vida transborda em suas diferentes formas, línguas e quintais.

Vamos aprendendo em cada rosto que cada qual carrega dentro e fora de si, a mesma essência, com mais ou menos experiência, e que independente da frequência, toda história vida é, é ar que suspira e traz, cheio de graça, o amanhecer de um novo dia. Página que se vira, é a beleza da incerteza de uma existência plena.

Não são meros retratos, são imagens de um breve momento de vida emprestados pela eternidade.