Nosso inimigo: o bloqueio criativo

A woman in a red sweater intently browses Medium

Sentada na frente de uma página em branco, as palavras não aparecem… Quero escrever, mas a mente não colabora. A única coisa que vem na cabeça são os prazos e datas. Então tento escrever algumas palavras que vem na minha cabeça, para ter a sensação de estar escrevendo alguma coisa.

Papel. Caneta. Borracha. Café. Livro. Raiva. Bloqueio. Bloqueio. Bloqueio.

Se não consegue escrever, não escreva. Você não precisa criar milhares de textos todos os dias e ter ideias impecáveis todos os dias. Escrever não deve ser algo sofrido e tentar se gastar a procura de inspiração é uma perda de tempo enorme. Vá jogar algum jogo, ler um livro, ver filme, passear no parque, andar de bicicleta, faça amor, tome um chá. Mas saia da frente da folha em branco! Ela vai continuar assim, não vai ficar cheia de palavrinhas de uma hora para a outra.

Vai chegar um momento que você vai ficar com a mão formigando de vontade de escrever e a cabeça explodindo de ideias . Então você vai conseguir escrever. De repente a inspiração surja depois de ter dado um tempo e experimentado fazer outras coisas. De repente aquele livro, aquela música, aquela conversa, podem se tornar um texto. E todo esse conteúdo está sempre ali dentro de você, quando a mente descansar escrever se torna uma coisa natural. Você pode terá tesão de escrever sobre qualquer assunto, mesmo que seja sobre o seu bloqueio criativo. Escreva, mesmo que inicialmente não faça nenhum sentido. De repente surge exatamente aquilo que você precisa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.