20 fatos aleatórios da minha infância (veja se você também já fez a última)

Histórias, lembranças e essa vida que vai passando. https://tempopracontar.wordpress.com

1- Achava que se abrisse a televisão, iria conseguir entrar no programa da Xuxa. Felizmente jamais tentei.

2- Lia revistinhas do Leandro e Leonardo, Xuxa, Senninha e Turma do Arrepio, além das clássicas Turma da Mônica e Luluzinha.

3- Lutava pra conseguir assistir até o fim o programa da Angélica na Manchete. Minha mãe chegava em casa e queria logo ver a novela das 6.

4- Conseguia dar longas palestras sobre por que o bebê de “Barriga de Aluguel” tinha que ficar com Ana, a mãe genética, e não com Clara, a mãe de aluguel. E isso incluía exibir meus conhecimentos incompletos sobre reprodução humana.

5- A faxineira dizia que se eu pisasse no chão que ela havia acabado de limpar com água sanitária isso iria “cortar meu pé”. Eu imaginava uma verdadeira carnificina com membros decepados.

6- Pra mim, quando a gente virava adulto, uma transformação mágica acontecia que fazia a gente deixar de gostar de desenho animado e automaticamente passar a gostar de cerveja. Nenhuma das duas coisas jamais aconteceu comigo

7- Ficava imaginando quão “alemão” teria que ser o meu “marido” pra justificar todas aquelas bonecas tão loiras e diferentes de mim.

8- Às vezes me perguntava se os brinquedos saíam do lugar enquanto eu não estava olhando (isso numa época pré-Toy Story). E daí passei a refletir também se as outras coisas continuavam existindo enquanto eu não prestava atenção. Acho que batizaram meu Toddynho.

9- Entrava em todas as brigas de Presidencialismo x Parlamentarismo que aconteciam na época do plebiscito de 93. E isso antes de saber o que significava qualquer uma dessas coisas.

10- Morria de medo do Fofão, da caipora, da maçonaria, da Besta do Apocalipse, do Satan Goss e do Gil Gomes.

11- No início dos anos 90, minhas tardes de sábado eram divididas entre fazer aniversário de boneca, dançar lambada e assistir “Milk Shake” com a Angélica.

12- Achava que as mulheres menstruavam o tempo todo, e que as noivas já saíam magicamente grávidas da igreja após a cerimônia.

13- Queria escrever um livro, ou letras de música. Até fiz umas tentativas no verso de um vinil, mas a família não curtiu muito a ousadia.

14-Pensava que quem morava em São Paulo já ficava automaticamente famoso, e iria aparecer pelo menos uma vez na vida na televisão.

15- Tinha muito ódio quando lembrava que o Sítio do Picapau Amarelo não existia. Nem o tapete mágico do Alladin.

16- Cheguei a pensar que iria conseguir voar como o Superman se amarrasse uma toalha no pescoço. Mas um dia o Sérgio Mallandro fez um desabafo no programa dele, contando a história de um menininho que havia morrido exatamente desse jeito. Sergio Mallandro salvou a minha vida.

17- Achava que Lady Di e Princesa Diana eram pessoas diferentes.

18- Tinha muito medo de pegar AIDS, principalmente por transfusão de sangue, como o Betinho. E não entendia como “camisinha”, que pra mim era só uma camisa pequena, poderia ajudar em alguma coisa.

19- Achava bonitas as propagandas da Benetton, as mais polêmicas eu não entendia mesmo.

20- Usava o microfone e o aparelho de som lá de casa pra gravar fitas k7 com meus próprios programas de rádio, que tinham comentários, entrevistas e qualquer música que estivesse tocando na FM no momento. Nenhuma dessas fitas chegou até os nossos dias.