O guia das folhas orgânicas

Foto: Rodrigo Cavassoni

As folhas são os itens mais delicados da nossa colheita e, por isso, merecem um cuidado todo especial. Armazenadas de forma adequada, podem durar bastante, nos nutrindo com fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes.

Este guia especial mostra todos os cuidados necessários com as folhas, além de dicas para aproveitá-las de variadas maneiras. De quebra, você ainda fica por dentro de todos os benefícios das verduras, além de sair da rotina com sugestões de preparo deliciosas!


#1 Conhecendo as folhas

Alface

Pode ser crespa ou lisa, roxa ou verde, além da versão mimosa, romana e americana. Independentemente do tipo, a alface é rica em cálcio e vitamina A. Além disso, é conhecida por ser um calmante natural, por possuir uma substância chamada lactutina, que ajuda a acalmar o corpo em momentos de estresse e insônia.

Acelga e couve chinesa

Frequentemente confundimos uma pela outra, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. A couve chinesa é da família do brócolis, do repolho e do nabo, já a acelga é da família da beterraba. Apesar de diferentes, seu valor nutricional é semelhante e ambas são ricas em ácido fólico, importante para a formação do sangue, vitamina A, vitamina C, vitaminas do complexo B, além de cálcio e potássio.

Agrião

O agrião é um superalimento que possui altíssima concentração de nutrientes. Seu consumo está associado à prevenção da gripe, pois possui maior concentração de vitamina C do que a laranja, além de ter ação expectorante. Além disso, é mais rico em cálcio do que o leite (e do que a couve mineira!). Seu talo também é muito nutritivo, rico em iodo.

Azedinha

Essa verdura — que faz jus ao nome pelo sabor marcante — é rica em vitaminas C e B, além de cálcio. É uma planta com muitos de benefícios à saúde, tendo ação diurética e febrífuga, além de antibacteriana, cicatrizante, anti-inflamatória, desintoxicante, adstringente, anticancerígena, laxante, antiescorbútica e antisséptica.

Chicória

A chicória é uma importante fonte de vitamina A, vitamina C, vitamina D, vitamina K, vitaminas do complexo B e ferro. Além disso, possui propriedades antibacterianas e contém uma fibra dietética solúvel, chamada inulina, que é útil para a prevenção de distúrbios intestinais.

Couve mineira

A couve mineira é uma folha verde escura com altas concentrações de cálcio. É mais eficaz, para reposição do ferro, comer uma xícara de couve do que uma xícara de leite! Além disso, é rica em ferro, vitamina K, vitamina C, vitamina B5 e magnésio, que ajuda a rejuvenescer as células do nosso organismo.

Couve mineira X Couve chinesa | Foto: Rodrigo Cavassoni

Espinafre

Nutricionalmente riquíssimo, o espinafre possui alta concentração de ferro e é uma excelente fonte de vitaminas A e B2, além de fornecer cálcio, fósforo, potássio e magnésio, sendo particularmente indicado para pessoas com anemia e desnutrição.

Mostarda

A mostarda é uma verdura rica em proteínas, vitamina A, vitamina K, vitamina B2 e vitamina C, além de conter uma boa quantidade de ferro e cálcio. Além disso, o consumo desta folha está associado à saúde do fígado e do intestino. Possui também efeitos anticolesterol e desintoxicante.

Rúcula

A rúcula contém altos níveis de antioxidantes e ácido fólico, além de ser rica em carotenoides e minerais como potássio, manganês, ferro e cálcio. Também possui alta concentração de antioxidantes que atuam no combate dos radicais livres, bem como de ferro, cálcio e manganês, vitamina A, vitamina C, vitamina K, tendo, por isso, ação anti-inflamatória.

Taioba

Uma variedade menos comum que você acaba encontrando quando compra de produtores orgânicos locais. Rica em vitaminas A, B e C, além de ferro, cálcio e potássio, a taioba oferece vários benefícios à saúde. É um ótimo alimento para o tratamento da anemia, prevenção da osteoporose, além de ser importante para a boa digestão. Possui também ação anti-inflamatória e antioxidante, atuando, também, no aumento da imunidade.

# 2 Como lavar

Foto: Rodrigo Cavassoni

- Todo cuidado é pouco

As folhas devem ser lavadas com cuidado, mesmo as orgânicas. Ainda que não tenham agrotóxicos, as folhas podem trazer microrganismos invisíveis aos olhos e que podem ser maléficos à nossa saúde.

- Lave folha por folha

Faça o processo em água corrente para retirar possíveis insetos e excesso de terra. Depois coloque as folhas em uma bacia com água filtrada e vinagre de álcool. A proporção é de uma colher de sopa de vinagre para cada litro de água. Você também pode usar pastilhas ou gotas de cloro disponíveis no mercado, seguindo as instruções do fabricante.

- Molho

Deixe as folhas de molho por trinta minutos, retirando em seguida e enxaguando novamente. É importante não ultrapassar muito esse tempo, pois as folhas tendem a se deteriorar se ficarem muito tempo em contato com o vinagre.

- Observação

Esse processo é especialmente importante para as folhas que serão consumidas cruas.

#2 Como armazenar

- Folhas cruas

Após higienizadas, seque bem as folhas com a ajuda de uma secadora de saladas. Caso não possua uma, escorra as folhas e seque-as com a ajuda de um pano. As folhas, se bem secas, duram muito mais tempo.

Depois de secas, guarde-as em um recipiente bem tampado. Para fazê-las durar ainda mais, forre o recipiente com papel toalha; assim duram a semana toda.

- Folhas cozidas

As folhas que serão consumidas cozidas, como a couve mineira e a acelga, não precisam passar por esse processo. O ideal é lavá-las e preparar em seguida.

#4 Como preparar

Normalmente as folhas são associadas às saladas cruas, mas suas possibilidades vão muito além disso.

- Saladas frias

As alfaces, rúcula, agrião e azedinha formam uma bela salada de folhas, mas você também pode sair do básico e incluir couve, espinafre e chicória na salada crua.

- Saladas mornas

As saladas mornas são ótimas opções para os dias mais frios, quando preferimos refeições quentes. Vão muito bem nesse tipo de preparo o espinafre, a chicória, a couve mineira, a couve chinesa, a acelga e a mostarda.

Experimente misturar essas folhas ligeiramente refogadas, para que não fiquem nem muito rígidas nem muito moles, com oleaginosas, cogumelos e massas.

- Sopas

Acredite se quiser, mas uma sopa de alface dá o que falar! Além disso, as folhas também podem servir de coadjuvante em diversas receitas como a couve no caldo verde, o espinafre na canjiquinha mineira e a couve chinesa ou acelga no ramen.

Aqui, já fizemos um creme de alface, ó:

- Refogados

A maioria das folhas verde escuras dão um belo de um refogado. Com um toque de alho, a couve mineira, a taioba, o espinafre, a mostarda e a chicória ficam deliciosas. Também vão bem nesse tipo de preparo a acelga, couve chinesa, rúcula e o agrião.

- Sucos

Os famosos sucos verdes, tão populares hoje em dia, em geral levam folhas verde escuras. Para um suco com sabor mais neutro, acrescente couve ou folhas de espinafre. Se você quer mais presença, rúcula, agrião e azedinha darão um toque mais picante e refrescante. Delicioso :)


Agora que você sabe tudo sobre as folhas do Clube Orgânico, não tem mais desculpa para não usar e abusar dessas delícias!

Seja um associado: clubeorganico.com | Facebook | Instagram | Blog

Gostou? Clica no ❤