O guia definitivo das raízes orgânicas

Foto: Rodrigo Cavassoni

Raiz é um item que não pode faltar na geladeira. Elas quebram o maior galho no preparo de sopas, purês, massas e gratinados, além de serem versáteis nos acompanhamentos, podendo ser fritas, grelhadas e assadas.

Aqui, apresentamos o guia definitivo para você aprender a cuidar e armazenar as raízes da sua cesta de orgânicos, além de sugestões deliciosas de preparo para variar no cardápio de casa.

A seguir, você vai ver como:

  • Armazenar: cuidados importantes na hora de guardar
  • Descascar: como fazer com cada tipo de raiz
  • Identificar: veja a diferença entre 8 raízes comuns
  • Cozinhar: 8 receitas para sair do básico sem se enrolar

1. Como armazenar raízes

As raízes são vegetais resistentes que não demandam muita atenção no armazenamento. Porém, alguns cuidados são importantes para aumentar a vida útil desses alimentos na geladeira.

Raízes como cenoura, nabo e beterraba costumam vir com os talos e folhas, que devem ser retirados (mas não descartados!), pois tendem a apodrecer mais rapidamente. Guarde somente as raízes em um saco plástico fechado na geladeira. Desse modo, elas podem durar até duas semanas.

Batatas de todos os tipos, aipim e inhames podem ser armazenados em sacos plásticos no refrigerador sem nenhum tipo de cuidado, contando que estejam secos. São vegetais resistentes, mas se estiverem com alguma parte da polpa à mostra, sua vida útil reduz consideravelmente. Por isso, se tiver metade de um inhame, por exemplo, trate de utilizá-lo logo.

Foto: Rodrigo Cavassoni

2. Descascando raízes

As batatas tendem a ficar rosadas ou escurecidas depois que a casca é retirada, devido à oxidação do amido contido nelas. Para que isso não aconteça, as batatas, assim que descascadas, devem ser preparadas para consumo imediatamente. Para retardar a oxidação, coloque-as em uma tigela com água; isso faz com que se mantenham na coloração normal.

Já a cenoura e a beterraba não passam por esse processo e podem ser armazenadas sem casca. Porém, uma vez descascadas, sua validade diminui, pois tendem a ressecar e a apodrecer mais rapidamente.

3. Conhecendo nossas raízes

Batata doce

É uma rica fonte de carboidratos complexos de absorção lenta, por isso seu consumo é frequentemente associado à sensação de saciedade. Além disso, possui baixo índice glicêmico, evitando picos de insulina. Possui alta concentração de vitamina A, vitamina C, vitamina E e vitaminas do complexo B, essenciais para a pele e para a formação do colágeno. Tem vários tipos de coloração, podendo apresentar a casca amarela, rosa ou roxa, e a polpa laranja, branca ou roxa. Pode ser preparada de diversas maneiras: assada, frita, corada, cozida ou compondo sopas e purês.

Batata yacon

Esse tipo de batata tem textura macia e sabor frutado. É considerado um alimento funcional por possuir grande quantidade de pré-bióticos, que servem de alimento para as bactérias boas que vivem no nosso intestino. Seu consumo é associado à perda de peso, por ser uma fonte de carboidrato de baixa caloria. Além disso, controla o açúcar do sangue, sendo um ótimo alimento para quem tem diabetes. Esse tipo de batata, apesar de não ser muito comum no mercado, é extremamente versátil e saborosa, podendo ser consumida crua, cozida ou assada.

Batata yacon / Foto: Rodrigo Cavassoni

Inhame

Rico em vitamina A, o inhame possui um fito-hormônio chamado diosgenina, cuja função é impedir que as moléculas de gordura sejam absorvidas, ajudando no controle do peso. Possui também ação antioxidante e anti-inflamatória, amenizando sintomas da depressão e TPM, além de reduzir o colesterol ruim e aumentar a imunidade. Seu preparo é bastante versátil e adiciona uma textura sedosa à sopas e purês.

Aipim

Rico em fibras, vitaminas, carboidratos, potássio e cálcio. Seu consumo retarda a absorção dos carboidratos e ajuda no funcionamento intestinal. Também tem altos níveis de serotonina, o hormônio da felicidade, responsável pela sensação de bem estar. É muito utilizado na culinária brasileira, compondo escondidinhos, caldos, sopas, bobós, além de ser classicamente preparado frito.

Nabo

Rico em vitamina A, vitamina C, vitamina E, antioxidantes e agentes anti-inflamatórios. É também uma grande fonte de cálcio e potássio, minerais essenciais para o crescimento saudável dos ossos, e fitonutrientes, que são anti-cancerígenos. O nabo é comumente associado ao adorno dos pratos nos restaurantes japoneses, mas seu uso vai muito além disso. Pode ser consumido cru, cozido ou assado, na forma de purê ou adicionando sabor em pratos de preparo lento, como ragu e goulash.

Beterraba

A beterraba é muito rica em nutrientes da raiz às folhas. Suas folhas são ricas em cálcio, ferro e vitaminas A e C. Já a raiz é uma excelente fonte de ácido fólico, fibras, manganês e potássio, além de magnésio, vitamina B6, carboidratos, proteína e fibra solúvel. A beterraba já é uma velha conhecida e, além de ser um clássico das saladas cruas, também colore sucos, patês, crepes e massas. Seu sabor é intensificado se cozida ou assada.

Cenoura

Rica em betacaroteno, um elemento importante para a visão, também associado ao aumento da produção de melanina. Além disso, o betacaroteno é também importante para a saúde da pele e mucosas. Possui também vitamina A, vitamina C, e vitaminas do complexo B, como B2 e B3, além de fósforo, potássio, cálcio e sódio. A cenoura pode ser consumida crua, assada, cozida e pode ser incluída em todo tipo de prato: de sucos à sopas, saladas, massas e o que mais a sua criatividade permitir.

Rabanete

Grande fonte de potássio, antioxidantes e fibras. Traz benefícios para a saúde do sistema digestivo, bem como para o fígado e a vesícula biliar. Além disso, os rabanetes são um diurético natural, sendo ótimos para o trato urinário, ajudando no bom funcionamento renal e no tratamento de desordens urinárias de modo geral. O rabanete é geralmente consumido cru, mas seu preparo pode ir além, sendo ótimo cozido e assado, adquirindo, dessas formas, um sabor mais suave e sofisticado.

4. Receitinhas

As raízes são verdadeiros coringas na cozinha e podem ser aproveitadas de variadas formas. Aqui apresentamos algumas sugestões para sair da rotina com esses alimentos tão saborosos!

Chips de raízes

Foto: Rodrigo Cavassoni

Pode ser feito com qualquer raiz, mas fica especialmente bom com batata doce, batata baroa, batata asterix ou comum, batata yacon, nabo e cenoura. Corte a raiz de sua preferência em rodelas bem finas. Regue-as com azeite, de modo que fiquem ligeiramente oleosas, mas não muito. Disponha-as em uma assadeira, arrumando-as para que fiquem separadas, sem que uma fique sobre a outra. Leve ao forno por 20 minutos ou até que fiquem douradas e crocantes.

Purê

Cozinhe a raiz de sua preferência em água com sal e passe no liquidificador com um pouco da água do cozimento. Vai bem com todos os tipos de batata, inhame, aipim, nabo e cenoura. O purê da batata yacon tem uma textura mais leve e é perfeito para refeições com restrição de calorias. Para um toque especial, experimente cozinhar com um 1 dente de alho para cada 500g de raízes ou o purê misto de batatas com nabo.

Gratinados

Raízes gratinadas ficam deliciosas. Há várias formas de se fazer, mas que tal experimentar uma lasanha de batatas?

Foto: Rodrigo Cavassoni

Essa receita vai bem com todos os tipos de batata. Corte a batata de sua preferência em rodelas bem finas. Disponha uma camada de batatas em uma assadeira untada e cubra com fatias de queijo mussarela e presunto. Repita o processo e, por fim, cubra com molho bechamel e queijo parmesão. Leve ao forno por 40 minutos e voi-là!

Saladas

Algumas raízes vão muito bem em saladas cruas, como o rabanete, o nabo, a cenoura, a beterraba e a batata yacon. Para sair da rotina, experimente nabos ou batatas yacon caramelizadas por cima de uma saladinha de folhas.

Para uma salada cozida, as batatas comuns são o ingrediente principal da salada de batata com maionese (que também pode incluir cenoura cozinha em cubinhos) e da salada niçoise.

Raízes caramelizadas

Saia do óbvio com deliciosas raízes caramelizadas. Para esse tipo de preparo, a batata yacon e o nabo são a pedida certa. Para duas pessoas, corte uma xícara da raiz de sua preferência em cubinhos e coloque numa frigideira com uma colher de manteiga, uma colher de chá de açúcar, 1 xícara de água e uma pitada de sal. Deixe cozinhar por aproximadamente 10 minutos, até que o caldo seque e a raiz fique ligeiramente dourada. É um ótimo acompanhamento para carnes e saladas de folhas.

Sucos

As raízes também podem ser feitas em preparações líquidas e são ótimos acréscimos no suco do dia a dia. Para sucos super nutritivos, experimente bater cenoura, beterraba, rabanete, inhame ou batata yacon junto com frutas. Está sem ideias? Não faz mal! Montamos preparações deliciosas para você se inspirar:

Suco de cenoura com inhame e manjericão, feito pela Regina Tchelly aqui.
  • Cenoura + beterraba + laranja
  • Batata yacon + melão + água de coco + menta
  • Inhame + couve + laranja
  • Batata yacon + limão + capim limão + água de coco
  • Rabanete + couve + laranja + maçã
  • Batata yacon + menta + abacaxi

Assados

Raízes assadas são um clássico e há várias formas de se fazer isso. Para uma batata recheada, coloque uma batata comum diretamente na grelha do forno e asse por 30 minutos. Abra a batata ao meio e adicione o recheio de sua preferência.

Para batatas rústicas, vale usar qualquer tipo de batata. Corte-as em palitos grossos, regue com azeite, tomilho, alecrim e sal grosso e leve ao forno por 30 minutos.

Cenouras, nabos, rabanetes e beterrabas também vão muito bem assadas, com um toque de azeite e ervas. O nabo e o rabanete assados ganham um sabor muito diferente de suas versões cruas, mais sutil e ideal para quem não gosta da ardência característica dos rabanetes.

Nhoque

A tradicional receita italiana vai muito bem com batatas, aipim e inhame. Experimente estas duas opções de receita da Cozinha do Clube:


Agora que você já sabe tudo sobre as raízes do Clube, que tal expandir o seu repertório na cozinha e criar receitas fabulosas com esses coringas da natureza? :)

E se quiser ir além, apresentamos para você outros guias da nossa cozinha:


Seja um associado: clubeorganico.com | Facebook | Instagram | Blog

Gostou? Clica no ❤!