Whiskey

O copo de Whiskey é a única coisa a me esquentar nessa noite fria…

O lugar é um pouco escuro, bem típico, e os desafinos de 3 ou 4 garrafas de vinho intercalam com o som delicado de uma obra adaptada pra piano. O vento frio me agarra sempre que mais um solitário abre as portas pra derramar suas lágrimas num copo de escocês ou quando um desses casais que acabaram de sair de um cinema alternativo qualquer vem ocupar aqueles lugares vazios ao fundo…

Uma paz estranha me acaricia ao pensar que poderei me aventurar pelas ruas úmidas dessa cidade a qualquer hora da madrugada e não precisarei dar qualquer satisfação.

Uma frustração estranha sorri quando penso que poderei me entregar as ruas úmidas dessa cidade nessa madrugada e ninguém aguardará satisfação.

Algo estranho no frio sempre me diz que deveria estar acompanhado…que uma mão quente deveria afagar meu peito e um ar abrasoado pousar sobre meus ombros, sob cobertores, numa cama de casal qualquer enquanto os pés calçados de meias engraçadas roçam os de outrem.

Algo estranho nas noites de sexta continua me dizendo que liberdade, música e um destilado qualquer serão sempre as melhores companhias.

Esse dilema estranho ainda há de enlouquecer minha mente embriagada.

Car Radio — Twenty One Pilots