Demonstração pública de afeto

Jupiter in Virgo de René Magritte

Eu cresci com bons exemplos. Casais que seguraram suas relações através das tristezas, doenças e pobrezas. Passaram pelo desajuste do matrimônio, pelo desgaste do tempo, pelo uso do amor. Casais que permaneceram. Nesses construí meu padrão, nesses criei minha aspiração.

No meio do caminho encontrei você.

Eu amo cada uma das suas idiossincrasias. Eu te amo por me permitir usar uma palavra dessas em um texto. Adoro seu medo de dentista, seu pânico de altura, seu pavor de raios. Sei de cor as palavras que você detesta e não consegue pronunciar. Chamego, xodó e cafuné se tornaram meus amuletos. Sei dizer seus nomes, todos os quatro.

Ontem você me chamou de família. Ontem consegui tudo o que precisava.

Você reconhece tudo o que não vejo. Sabe de qualidades minhas que não enxergo. Percebe desejos, inseguranças, comportamentos, neuroses. Eu caminho sobre os alicerces construídos por você. Cada dia, cada hora, cada fôlego é você quem traz.

No meio da noite vejo seu sono.

Naquele primeira noite segurei seu torso e senti seu coração bater em minha mão. Até hoje sei seu ritmo. Vejo sempre sua caixa torácica subir e descer para me assegurar de que você é real, é ar, é sangue.

Eu te espero chegar da rua. Meu prazer é comprar pão e tomar café da tarde com você, repartir uma refeição. Esperar você se arrumar, reclamar da sua demora, do seu tempo próprio, da sua falta de noção sonora. Ver em você as qualidades que eu queria ter, ser quem eu gostaria de manter ao meu lado.

O seu sorriso é sempre farto. A linha dos seus olhos fechados se vira para cima. Seu cabelo começa a rarear, a idade vem, ainda não há rugas. Aprendo mais de mim contigo a cada dia. Aulas e aulas doloridas de elaboração constante. Relacionamento não é para os fáceis. A face da lua ainda te surpreende. Você é o meu sol. Casa sete cheia de planetas e todos eles são você. Meu rio deságua nas suas ondas, pororoca.

Se é uma escada, estamos a subir. Se é um barco, estamos a remar. Se é uma escolha, fiz a certa. A confusão vem da felicidade constante, da admiração mútua, da completude metafórica. Como é simples a vida.

No meio do caminho eu te amei.