Gerenciamento de riscos em projetos ágeis

O gerenciamento de riscos é muito importante dentro da gestão de projetos tradicional, sendo uma das áreas de conhecimento embutidas dentro do PMBOK. Muitas pessoas costumam peguntar como a gestão de riscos acontece em projetos ágeis, a maioria se mostra preocupada com a alternativa dos métodos ágeis, simplesmente, ignorarem o gerenciamento de riscos. Mas, por que os métodos ágeis se preocupam pouco com a gestão de riscos? Vamos lá! Em primeiro lugar, um grande esforço para gerenciar riscos de maneira explícita em projetos ágeis, acaba se tornando desnecessário. Isso por que as iterações curtas, o foco único no valor, a ênfase em qualidade e entregas frequentes, fazem com que as equipes evitem a grande maioria dos riscos encontrados em outros modelos. Dessa forma, não é raro encontrar diversos projetos ágeis sem uma forma de gestão de riscos explícita. Mas, assim como muitos projetos ágeis podem ser realizados sem uma gestão de riscos formal, outros estão susceptíveis a se beneficiar da gestão de riscos mais explícita e formal. Sendo assim, vou te mostrar uma forma de gerenciar riscos em projetos ágeis, utilizando o gráfico burndown de riscos.

Criando a lista de riscos

Antes de criarmos um gráfico burndown de riscos, precisamos de uma lista contendo os principais riscos. Essa lista deve conter a descrição do risco, a probabilidade do risco acontecer, o tamanho da perda (dias) e a exposição ao risco (dias). Segue abaixo um exemplo, você pode adicionar mais colunas se desejar, ao meu ver essas são suficientes:

lista-de-riscos
Entendendo as colunas:

Descrição: Básico, a descrição do risco que pode vir a acontecer;

Probabilidade do Risco: Qual a probabilidade do risco acontecer? 30%, 20%? Forneça uma estimativa do quão provável o risco é de acontecer.

Tamanho da Perda: O impacto no cronograma se o risco acontecer. Quantos dias serão perdidos?

Exposição ao Risco: Por quanto tempo (dias) o projeto ficará exposto ao risco? Aqui você deve fazer um calculo: Exposição ao Risco = Tamanho da Perda * Probabilidade do Risco. Exemplo: Exposição ao Risco = 15 * 20% = 3. Ou seja, 3 dias de exposição ao risco.

Eu recomendo a criação da lista de riscos durante a primeira reunião de planejamento da sprint (iteração), sendo ela, atualizada durante as reuniões de planejamento subsequentes, à medida que novos riscos forem identificados ou as probabilidades e tamanhos dos riscos mudarem.

O gráfico burndown de riscos

Agora vamos criar o nosso gráfico burndown de riscos, nele iremos organizar e apresentar a soma dos valores da coluna de exposição de risco, presente na lista de riscos. Minha recomendação é somar apenas os dez riscos principais, mesmo que a equipe tenha identificado mais.Seu gráfico burndown de riscos será similar a esse:

burndown-de-riscos-1

Assim como acontece com qualquer gráfico burndown, devemos observar uma queda linear em riscos ao longo do projeto. Segue um exemplo abaixo:

burndown-de-riscos-2

Se os riscos não forem gradativamente caindo ao decorrer do projeto, a equipe deverá separar algum tempo na sprint (iteração) seguinte apara trabalhar diretamente na resolução desses riscos.

E é isso! Como você pôde ver é possível sim realizar um controle de riscos em projetos ágeis, caso venha a ser necessário. O gráfico burndown de riscos fornece uma maneira interessante de visualizar e controlar os riscos dentro do projeto. Espero que tenha gostado! ;)