Esgotados!

Oct 11, 2017 · 2 min read

Já tinha um tempo que queria escrever sobre isso, e depois do ápice de uma notícia muito triste recebida hoje, não consegui pensar em outra coisa que não fosse escrever esse texto.

Acontece que nós jovens não somos levados a sério. Nosso cansaço não é levado a sério. Nossas crises não são levadas a sério.

Estamos esgotados. Essa é a palavra: esgotados. Foi a palavra que mais usei nos últimos tempos. Eu achava que estava sofrendo dos sintomas sozinha, mas de uns tempos pra cá, entre uma conversa e outra com amigos universitários, descobri que isso é mais comum do que esperava. O cansaço mental é tão grande que o corpo não suporta, de tão igualmente cansado. Crises de choro, crises de ansiedade e de pânico tornam-se recorrentes. O estresse vai afetando nossa capacidade cognitiva e começamos a ter dificuldade de achar palavras pra completar frases, e vamos nos cansando de fazer esforço pra explicar as coisas. Passamos a evitar situações e pessoas que nos trazem essa demanda de energia e como consequência podemos entrar em um regime de ostracismo.

Tristes, frustrados, com medo e inseguros quanto a tudo e a todos. O mundo não pára de girar porque estamos nos questionando. Choramos escondidos, secamos as lágrimas e depois voltamos a programação normal. Pq a empatia vai até onde a capacidade de desempenho e performance vale, e quando digo isso, me refiro não só ao trabalho profissional.

É um sentimento contínuo de estar sufocado, de que não somos bons o suficiente, de que não somos pessoas presentes, de que estamos sempre atrasados e distantes de sermos bem sucedidos.
Estamos em constante conflito conosco sobre nós mesmos e sobre nossa percepção de mundo. E a sensação é de não vamos aguentar tudo ao mesmo tempo.

E o meu pedido é: não seja a pessoa inconveniente que torna este processo traumático. Economize nas palavras e abrace mais, pq a chance de errar o tom é bem menor. PROCURE OUVIR MAIS DO QUE FALAR (inclusive postagens). Seja despretensioso em suas atitudes de (re)aproximação, isto é, haja com naturalidade, não nos trate com pena ou como se fôssemos pessoas débeis (pq não fazem ideia de como isso é NOCIVO). Demonstre que a pessoa é importante pra vc, não faça isso dps que já tive-la perdido. E seja gentil e compreensivo, pq VC NÃO FAZ A MENOR IDEIA do que esse universitário (na vdd qqr jovem) está passando. E acima de tudo, NÃO INSISTA em nada, a não ser que a pessoa te mostre liberdade pra isso.

Respeite o tempo do outro, mesmo que vc não entenda!

Texto (brilhante) da minha amiga Suelen

daniellopes22

Um lugar em que posso falar da vida sob meu ponto de vista

    Daniel Lopes

    Written by

    daniellopes22

    Um lugar em que posso falar da vida sob meu ponto de vista

    Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
    Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
    Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade