Tecnologia é o core

Photo by rawpixel.com from Pexels

A consultoria PwC divulgou há cerca de duas semanas um material interessante com os 10 princípios para modernizar a tecnologia da sua empresa. Em outras palavras, como fazer uma transformação digital eficiente e que traga resultados. O longo artigo começa com uma frase que cai como uma luva em algumas conversas que tivemos por aqui ao longo dos últimos meses.

Dizem os autores Leon Cooper e Milan Vyas: “A tecnologia não é mais uma função do seu negócio, ela é o seu negócio”. Ou seja, um processo de TD não pode de forma alguma ser encarado como algo cosmético ou ser realizado de modo parcial.

Pelo contrário, a transformação digital é um imperativo, pois as empresas no mundo atual precisam pensar e agir de uma nova maneira, digital, hiperconectada e ágil. Isso é transformação digital, um processo que vai alterar as companhias por completo e deixar muitas delas pelo caminho.

E é justamente por essa razão que gestores, diretores e lideranças das empresas de modo geral que acreditam que a TD é uma onda ou um modismo que passará com o tempo estão completamente equivocados. A transformação digital não é apenas um ciclo. O que ela traz é um paradigma inteiramente remodelado que exige mudanças contínuas e que coloquem a tecnologia da informação como ponta de lança das ações de empresas de qualquer setor.

A tecnologia não é mais uma função do seu negócio, ela é o seu negócio

Tudo isso com um objetivo muito claro, como nos ensina o texto da PwC: gerar valor para os clientes. Esse é o princípio número 1 elencado no artigo. O que se defende é que todas as ações de TD devem estar voltadas para a meta de criar cada vez maiores facilidades para o consumidor final em qualquer plataforma onde ele interaja com a marca.

Todos os outros nove passos indicados pelos autores têm como propósito cumprir este objetivo. Assim, o artigo lista as seguintes ações encadeadas para deixar a empresa mais próxima de entregar o maior valor possível ao seu público.

Uma simplificação da arquitetura da companhia com racionalização de cargos (falei há algumas semanas do excesso de chefes em algumas empresas) para se obter uma estrutura que garante rapidez na tomada de decisão e eleve o engajamento do corpo de funcionários. Isto, por consequência, acarretará na mudança do mindset da companhia, que passará a estar voltado para serviços e atendimento, e não se preocupar com questões internas menores.

O artigo também defende um incremento das ações de planejamento da marca com foco na seleção das equipes com base em suas capacidades, adoção de um estilo mais ágil e realização de investimentos em medidas que garantam que o ambiente de mudanças constantes perdure na empresa. Tudo isso, por fim, levará ao estabelecimento de parcerias com outras empresas e com o público baseadas valores comuns e confiança.

É fácil perceber que as mudanças levadas a cabo em uma transformação digital vão muito além do mero uso de novas tecnologias em processos da empresa, ela preconiza uma mudança de mentalidade e na cultura da organização. Ao longo das próximas semanas, vou aprofundar alguns temas levantados nesse artigo que considero de alta relevância para o sucesso de uma TD.