Os Impactos da Tecnologia Cívica, um relato do evento

Existe um universo onde pesquisadores, hackers, desenvolvedores, fundações, ativistas e estudantes se juntam e apresentam no que estão trabalhando e discutem quais os rumos das tecnologias que estão sendo desenvolvidas e como acreditam que elas contribuem na composição da democracia. E essa é a minha visão do que aconteceu na conferência Os Impactos da Tecnologia Cívica em Firenze.

Quem é o responsável pelo evento?

mySociety é uma organização inglesa que produz websites que empodera cidadãos mundialmente. 
Ela produziu o evento em parceria com a fundação Hewlett e Google. O evento foi muito bem organizado e em local adequado.

Palestrantes e palestras

Abertura
Rebecca Rumbul, mySociety
Após apresentar os números atuais da mySociety, apresentou os porquês da necessidade daquele evento: Radicalismo de direita, desconfiança da veracidade de qualquer notícia que circula na internet e populismo crescente. 
E a missão dos envolvidos: Criar plataformas de colaboração e troca de ideias, resgate de confiança e como direcionar toda essa energia de insatisfação com governos para algo construtivo.

Tecnologias (não)civis
Tiago Peixoto, Banco Mundial
Arrisco afirmar que ativismo de sofá funciona. Ele apresentou pesquisas sobre dados demográficos e como são as respostas de plataformas de pressão política como Change.org, Panela de Pressão do Nossas Cidades.org, FixMyStreet da Califórnia e outros.

Alguns dados interessantes:

  • Globalmente são maioria homens que criam petições online, mas a maioria de assinantes são mulheres. Ou: Homens ditam a pauta, mas as mulheres que são responsáveis por fazerem elas passarem,
  • Petições internacionais são mais efetivas em países menos democráticos,
  • Petições internas são mais efetivas em países mais democráticos.

Informando cidadãos 001
Diego Garzia, Universidade de Lucerne
VAA é um sistema que aponta quais partidos estão alinhados com a sua visão política. E também mostra quem no resto do mundo possui a mesma visão que você. Rapidamente foi apelidado de "Tinder Político".

Informando cidadãos 002
Paul Hilder, Crowdpac
Crowdpac também oferece o serviço de identificação de perfil político. Além apresentar o perfil de candidatos, ajudando na educação política, realiza pesquisas — que no caso Brexit, tiveram uma aproximação dos resultados melhor do que as pesquisas oficiais.

Informando cidadãos 003
Anna Ścisłowska, Association 61
Assim como os anteriores, realiza pesquisa com os usuários para identificação de valores/ideologia com partidos políticos, porém de maneira qualitativa e também apresenta notícias, análises de dados — muitas vezes internos, gerando insights valiosos sobre o eleitorado local.

Show case: Facebook e a eleição norte americana
O Facebook montou uma equipe só para gerar informação e escolha de candidatos, levando o eleitorado até o seu local de votação. 
Imagino que a primeira coisa que vêm a sua cabeça é: Facebook e eleição? Manipulação e produção de dados, certo! 
Eu não acredito nisso, primeiro porque o Facebook não é pró Trump, dois porque eles tem o compromisso de deletar todos os dados sobre todas as coisas relacionadas a votação em 60 dias. 
O caso tragicômico é que algumas pessoas entenderam que registrar a intenção de voto era como votar, isso porque algumas pessoas acham que o Facebook é a internet inteira…
A intenção desse produto era unicamente de trazer mais informação sobre candidatos e como votar. A pesquisa é muito mais profunda, mas eles tem registro de um aumento de 6% sobre o conhecimento geral do processo de votação de quem interagiu com o produto.

Fraudes, desastres e acidentes 001
Jessica Ports Robbins, Tulane University
Foi apresentando um panorama geral sobre ferramentas digitais que tem como objetivo gerar conhecimento e treinamento básico em casos de desastres e acidentes. Muitos dos desafios da criação dos apps(são mais de 100 apps diferentes) são comuns aos desafios de design de desenvolvimento social.

Fraudes, desastres e acidentes 002
Pamela Combinido, De La Salle University
A experiência de quem trabalha em serviços de emergência, possuindo conhecimento técnico e que esteve presente durante o tufão Haiyan, utilizando de ferramentas digitais para poder trabalhar e gerando insights valiosos para a evolução desse tipo de tecnologia.

Fraudes, desastres e acidentes 003
Ofir Reich, Center for Effective Global Action
Fraude e evasão de impostos através da criação de empresas fantasmas são detectadas pelo robô do Ofir, que aprende com as empresas que foram pegas em esquemas de fraude. 
Sim, estamos trocando email diretamente para entender como vamos aprender um com os outro.

Revolucionando o governo através do digital
Audrey Tang, Primeira Ministra Taiwan
Audrey é mulher, primeira ministra, com histórico hacker, que produz código hoje em dia e é trans. Ela é provavelmente a pessoa que mais investe em civic tech no globo. 
Após contar a história de como o Estado, junto com a ajuda dos hackers locais se uniram para conversar e arbitrar a disputa entre taxistas e a chegada do Uber —culminou em uma ferramenta e método que auxilia esses processos democráticos que possuem um quê de conflito mas ainda dá voz ao povo. Essa ferramenta é usada como consulta popular hoje.

Notícias falsas, populismo e pós-verdade
Mark Cridge, mySociety; Mevan Babakar, Full Fact; Tiago Peixoto, Banco Mundial
Painel onde foi discutido a origem das notícias falsas, porque nós gostamos que elas existam, muitas vezes apenas por reforçar nossa visão de mundo e quais são os perigos sobre querer regulamentar a geração de notícias.

Houveram outras atividades que eu não participei diretamente ou não tomei notas.

E a Operação Serenata de Amor com tudo isso?

Estamos no mesmo lugar que todas as organizações presentes no evento. 
Criando tecnologia, querendo ver o projeto florescer e ainda assim estamos atrás de financiamento. 
Preparamos flyers, inspirados nos zines, fizemos algo com texto puro e cortado na papelaria da esquina. E panfletamos. No evento dos outros.

A parte positiva é que todo mundo adorou saber que existe algo como a Operação Serenata de Amor e agora eu estou falando com mais pessoas, organizações e fundações que podem auxiliar a Serenata das mais diversas maneiras. E finalmente sabemos onde a Serenata se encaixa: Tecnologia Cívica.

Microsoft oficial blog

Dependemos mais uma vez de pessoas como você, que querem ver a continuidade do trabalho que iniciamos. Clique aqui e acesse a nossa página no APOIA.se.

Uma segunda maneira de seguir com o projeto adiante é através da busca de investimento por empresas e fundações. Se você conhece organizações interessadas em nos manter por mais tempo, podemos apresentar como elas podem ganhar ao investir no controle social da administração pública de uma forma eficiente. Fale com a gente.

Também estamos aceitando doações pela carteira de Bitcoin 1Gbvfjmjvur7qwbwNFdPSNDgx66KSdVB5b.

Para acompanhar o projeto

Para saber mais sobre o que acontece no dia a dia do projeto, nos siga no Facebook. Se certifique também de nos seguir no Medium para não perder os próximos reports quinzenais.