Sua empresa “data driven” vai funcionar devagar

As coisas mudam no devagar depressa dos tempos. Guimarães Rosa. Grande Sertão — Veredas

Esse não é um daqueles títulos fake usados apenas para chamar sua atenção. Para mim, ele contém a essência do que significa o termo data driven. Antes de chegar lá porém, queria passar por outro termo, o famoso data is the new oil.

Sobre dados como potencial fonte de valor

Perdi a conta de quantas vezes vi essa frase nos power points da vida: dado é o novo petróleo. Embora uma tanto desgastada, não é minha intenção desconstruí-la por completo. Elas guardam certa semelhança se pensarmos que, para extrair valor dessas duas entidades, precisamos conduzi-las por um um processo de transformação. Por outro lado, é bom saber que de perto ninguém é igual (nem normal).

Sobre ser direcionado por dados

Considere a descrição abaixo:

Sobre os sistemas 1 e 2

Se me permite, quero voltar ao exemplo do nosso amigo Ricardo e descrever um pouco mais os sistemas apresentados no livro do Kahneman. O sistema 1, rápido, é o que soprou no seu ouvido que Ricardo devia ser um bibliotecário. Ele é intuitivo, impulsivo, muitas vezes involuntário. Utiliza semelhanças, esteriótipos e tudo mais disponível em sua memória como uma heurística para te dar a resposta mais rápida. Contudo, obter a resposta mais rápida nem sempre significa obter a melhor, ou a correta.

Os problemas do sistema 2

O primeiro problema é que pensar devagar não é sexy, ninguém quer pensar devagar. Ninguém quer dizer que sua empresa data driven pensa devagar, mas é assim que é quando olhamos para nós mesmos, na perspectiva humana da coisa. Utilizar o sistema 2 no processo de decisão de sua empresa, em tese, consumirá muito mais tempo do que o sistema 1, baseado na “experiência” e “intuição”.

O devagar depressa

Convivemos diariamente com as limitações. Grande parte do trabalho executado pela humanidade, nossa evolução, gira em torno de contornar ou eliminar limitações. Nesse contexto, ainda que a essência do data driven passe pelo pensar devagar, há uma forma de agilizar esse processo. Existe um caminho para executarmos esse modo de pensar com mais velocidade, escalarmos sua execução. Precisamos utilizar habilidades e tecnologias especializadas para isso.

Concluindo

Comecei esse texto falando sobre o potencial dos dados para geração de valor, lembrando porém que compará-los ao petróleo não é tão simples, há sempre algo que pode surgir do inesperado quando trabalhamos com os dados. Baseado no livro do Daniel Kahneman, falei um pouco sobre os sistemas 1 e 2, modos de pensar rápido e devagar, relacionando o modo devagar com o trabalho analítico apoiado em dados ou data driven. A partir desse ponto tentei mostrar que o trabalho dos profissionais da área de dados, em sua essência, gira em torno de agilizar esse sistema.

DATA ENGINEER BR

Conhecendo o irmão mais novo e menos sexy do Data Science

DATA ENGINEER BR

Conhecendo o irmão mais novo e menos sexy do Data Science

Carlos Alberto Rocha Cardoso

Written by

Data professional, enjoying the journey of the life, the universe and everything.

DATA ENGINEER BR

Conhecendo o irmão mais novo e menos sexy do Data Science