Marcos Gabbardo
Mar 29, 2018 · 7 min read

Este artigo apresenta um resumo sobre partidas triplas (triple entry accounting), uma inovação financeira (não tão nova) que ganhou utilização prática com a criação do blockchain.

Observação: existem muitos artigos e comentários em fóruns contestando o que é partidas triplas, neste artigo (seja qual for o nome) estamos falando da inovação do processo financeiro (possibilitado pelo avanço da criptografia e da tecnologia) que evita que existam fraudes em um método de partidas dobradas, inclusive, e mesmo que exista auditor corruptível.

Uma breve história da contabilidade

A contabilidade como conhecemos teve seu início basicamente junto com a escrita. Foram descobertos textos que apresentam listas (contagem) de animais e estoques de comida. Os Sumérios na Mesopotâmia por volta de 3500 A.C. já usavam a escrita cuneiforme que através de pictogramas conseguiam controlar seus estoques ou ativos adicionando e diminuindo suas quantidades.

Partidas Simples

As partidas simples são basicamente como “todo mundo” faz sua contabilidade: cria uma lista, adiciona a quantidade e descreve os ativos, como uma lista de supermercado. Descrevendo um processo mais elaborado, poderíamos pensar em ter N listas, uma de cada categoria ou seção, sendo um “livro”, guardando informações como data, quantidade e um comentário sobre cada item. Para transferir um item de uma categoria para outra, bastaria apagar o item da categoria A e adicionar este item na categoria B.

Este é um processo bem simples, mas que trás consigo altos riscos operacionais como a fragilidade de erros de digitação ou mesmo a possibilidade de fraude. Imagine que em uma determinada empresa um usuário desta lista pode sem querer (ou intencionalmente) somente adicionar um item na lista B, sem apagá-lo da lista A, causando duplicação de informações e problemas graves de conciliação das informações reais com os registros contábeis. Basicamente, se a contabilidade for de um estoque, o gestor que avalia seu estoque pela lista pensaria incorretamente que existem 2 itens do mesmo tipo, um na categoria A e outro na categoria B.

Página da conta de resumo final elaborada por James Alexander para a mansão de Dracklow e Rudheath em Cheshire, para o ano de 1736. O documento inclui atrasos de aluguéis, e a quitação de imposto predial, paróquias, despesas acessórias, salários e outros valores pagos. A diferença entre os dois lados da conta é utilizado como um saldo para a conta do próximo ano.

Este modelo de partidas simples é muito antigo e traz limitações grandes pois com a facilidade de fraudes ou erros operacionais essa “contabilidade” tinha que ser absolutamente centralizada (para diminuir possibilidades de erros ou fraudes) a uma única pessoa de confiança, esta sendo por exemplo o chefe da família ou o dono do negócio.

Partidas Dobradas

As partidas dobradas acrescentaram uma importante propriedade no sistema de contabilização. Desenvolvida por Luca Paciolo em 1494 o sistema de partidas dobradas possibilitou ao contador/auditor ter estratégias claras para identificar e evitar erros ou fraudes.

Basicamente este modelo contábil tem 3 regras importantes para possibilitar a identificação de erros operacionais ou fraudes:

  • separação de todos os livros contábeis em 2 grupos: ativo e passivo (+ patrimônio líquido).
  • Redundância das partidas dobradas, onde cada lançamento tem um lançamento correspondente do outro lado, por exemplo: um lançamento a crédito obrigatoriamente deve ter um lançamento a débito.
  • E por fim, mas não menos importante existe a equação que diz: a soma de todos os lançamentos no ativo devem ser iguais a soma de todos os lançamentos no passivo mais a soma do balanço patrimonial.
Equação das partidas dobradas

Perceba que pela imagem acima, caso seja necessário debitar o ativo (assets), será necessário creditar o passivo ou o patrimônio líquido, para satisfazer todas as 3 regras mencionadas.

Ou seja, todo lançamento deve ter sua contrapartida para equilibrar a equação, sendo assim, um lançamento que não tenha a sua contrapartida é um lançamento incompleto, pendente de verificação que deve ser rastreado e ajustado ou ignorado dependendo das conclusões que se tenha na verificação da falha do lançamento.

Neste modelo é possível ter estratégias de auditoria para que sejam validadas e garantidos todos os lançamentos de maneira processual, primeiro garantindo que todo lançamento tem sua contrapartida e depois validando se cada uma dessas movimentos fazem sentido, dependendo do negócio e do tipo de movimento que está sendo feito. Esta estratégia permitiu que a contabilidade de empresas não escondessem de maneira fácil fraudes ou erros operacionais por bastante tempo.

A necessidade de confiança

As partidas dobradas possibilitaram um grande avanço no controle do risco operacional na contabilidade, seja esse risco por erros operacionais ou por fraudes, além disso, facilitou a criação e a expansão de métodos e processos de auditoria contábeis nas empresas.

Com o tempo a adoção global das partidas dobradas e os avanços na tecnologia da informação possibilitaram que empresas automatizassem a grande maioria destes lançamentos contábeis além de realizar os lançamentos com maior nível de detalhes, havendo registros para toda e qualquer alteração de ativos da empresa não importando o valor financeiro do mesmo.

Este processo de amadurecimento na adoção, utilização e auditoria do sistema de partidas dobradas tem pelo menos 3 efeitos colaterais:

  • Se as empresas criarem demonstrações financeiras imprecisas mas obedecendo as 3 regras das partidas dobradas, e ao mesmo tempo criarem boas histórias que suportem estas demonstrações, a dificuldade criada para os auditores identificarem fraudes são grandes e complexas.
  • Auditores são entidades “independentes” (internas ou externas) as empresas, mas seu pagamento vem diretamente das empresas que estão auditando, então existe riscos de moral hazard entre auditor e pessoas ou entidades que tem interesse em uma auditoria clara e correta (como por exemplo os acionistas de uma empresa S.A.). Resumidamente a fraude se estende até o auditor, e mesmo o auditor do auditor não garante que não será corruptível a fraude.
  • Mesmo que o auditor seja integro e incorruptível o atual volume de lançamentos contábeis em empresas médias e grandes mundialmente é astronômico, impossibilitando uma auditoria de todo e qualquer lançamento, sendo necessário na maioria dos casos trabalhar por amostra.

A necessidade de que a auditoria não dependa de uma única pessoa, ou empresa de auditoria ou de um grupo de empresas de auditoria, em resumo de uma terceira parte, faz com que sejamos levados ao próximo tópico.

Observação: note que entre a partida simples, passando para a partida dobrada e para os próximos tópicos que vamos apresentar, a necessidade sempre é diminuir ao máximo ou eliminar a possibilidade de erros operacionais ou fraudes no sistema contábil, tornando-o o mais confiável possível. Note também que até aqui existe um fator humano para controlar ou auditar o processo contábil.

Partidas triplas

Os avanços na criptografia e na computação com a criação da assinatura digital possibilitaram que as partidas dobradas fossem tratadas com uma terceira contrapartida de lançamentos.

Por exemplo, na imagem abaixo podemos notar que primeiro Alice faz uma transferência de um determinado valor para Bob, no caso 5 unidades monetárias (U.M.), logo ela é debitada em 5 U.M. e Bob é creditado em 5 U.M. (até este momento estamos falando de partidas dobradas). Para a transação estar concluída no entanto esse débito e crédito devem também ser lançados em um livro razão de uma terceira entidade que aqui chamamos de Ivan (que pode ser entendido como um conjunto astronômico de auditores), e neste caso Ivan tem a responsabilidade de verificar a assinatura digital de cada uma das entidades que realizaram o lançamento (para saber se Alice é realmente Alice e Bob é realmente Bob) além de gerar um recibo digital deste evento atestando que a transação está correta, ou seja, que existia saldo em Alice para ser repassado para Bob.

exemplo de partidas triplas

Além disso, os registros de Ivan podem ser registros públicos, onde todo mundo que quiser teria acesso para auditar os lançamentos.

O caso prático de partidas triplas com o blockchain

It is hard to cheat when everyone is watching

Talvez o caso mais bem sucedido de implementação de partidas triplas seja a contabilização das transferências de valores ou contratos no blockchain, pois o blockchain possui características únicas que fazem do mesmo o sistema perfeito para uma visão contábil a prova de erros ou fraudes:

  • A transação é o próprio recibo digital, atestado por um livro razão público onde todos podem ser auditores.
  • O blockchain proporciona a imutabilidade dos lançamentos. Ou seja, uma vez realizado, auditado e confirmado nunca mais pode ser alterado, o que elimina a possibilidade de fraudes após a validação dos auditores.
  • Além do mais, a auditoria dos lançamentos no blockchain é pública e é validada praticamente real time pelos auditores, enquanto que a contabilidade tradicional, mesmo sistematizada tem (no mínimo) fechamentos diários, com auditoria de lançamentos trimestrais (através de amostragem) normalmente.

Então vamos recapitular, nas partidas triplas no blockchain cada lançamento é auditado na hora da efetivação deste lançamento, uma vez validado ele fica imutável, ou seja, tecnicamente é impossível ser modificado, nem mesmo pelo “pessoal da TI” pois o blockchain é descentralizado, ninguém tem uma “senha” para desfazer ou apagar uma informação inserida nele.

Conclusões

Partidas dobradas foram úteis enquanto a necessidade contábil era mais simples, com poucos lançamentos. Com a sistematização dos processos contábeis nas empresas o volume de lançamentos e o número de pessoas a interagir com os registros aumentaram exponencialmente aumentando a dificuldade de auditar e garantir balanços.

Sem dúvida o blockchain como ferramenta para utilização de partidas triplas é atualmente um avanço considerável para os processos contábeis atuais criando formas mais seguras contra riscos operacionais ou fraudes em uma contabilidade, e dando escala para auditoria.

Contudo, ainda existem muitos aspectos a serem tratados como por exemplo padronização de processos de registros contábeis no blockchain. Além disso novos modelos de auditoria deverão surgir com a adoção do blockchain e do modelo de partidas triplas.

Bibliografia

Datastamp

Datastamp - Registrando Dados no Blockchain

Marcos Gabbardo

Written by

I speak only for myself

Datastamp

Datastamp

Datastamp - Registrando Dados no Blockchain

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade