Mad Men Não Caiu do Céu

Você sabe quando Matthew Weiner escreveu o piloto de Mad Men? Sabe quanto tempo levou e por quais caminhos o projeto andou antes de virar realidade?

Ontem começou a perna final da segunda temporada de Mad Men. A expectativa é enorme. A excitação dos fãs, a repercussão nas redes sociais, tudo faz pensar num grande acontecimento cultural, e é justo que seja assim. A qualidade da dramaturgia, em Mad Men, é algo de especial mesmo no panorama de alto nível dos canais premium da TV americana hoje em dia.

Respondendo à pergunta do primeiro parágrafo, Weiner em 2000. Quinze anos atrás. Apenas dois anos mais tarde, em 2002, o roteiro lhe serviu para alguma coisa: foi lido por David Chase, showrunner de The Sopranos. Chase, conhecido como um dos roteiristas-chefes mais exigentes do mercado, gostou do que leu e contratou Weiner para a equipe da sua série. Para Chase, ali havia alguém “que tinha alguma coisa a dizer”.

Muitas vezes, o seu projeto de série ou o roteiro do seu longa vai servir para isso, pelo menos num primeiro momento: te arranjar um emprego. Com sorte, em algo tão bom quanto Sopranos. Mais provavelmente, nada tão bom assim. Mas é dessa forma que as carreiras se constroem, um passo depois do outro, ganhando experiências, ganhando a confiança de outros profissionais e, nesse meio tempo, ganhando a vida.

Weiner tentou então negociar “Mad Men” com a HBO e com a Showtime enquanto trabalhava em Sopranos. Ambos os canais recusaram o projeto, que voltou para a gaveta até que, quando trabalhava na última temporada de Sopranos, Weiner teve a sorte de ter seu piloto (aquele, de 2000) levado à vice-presidente da AMC, que justamente naquele momento procurava séries ousadas para posicionar o canal junto aos então mais poderosos HBO e Showtime.

A AMC fechou com Weiner para fazer Mad Men em 2006 e a série estreou no ano seguinte. Sete anos, portanto, desde que Weiner escreveu o piloto. Parece muito? pois não é. Inúmeras histórias na TV e no cinema levaram mais tempo ainda para acontecer.

Então, quer ser roteirista? quer emplacar sua série? Trabalhe, escreva, escreva muito, mostre a cara por aí, batalhe para ser lido por gente que possa se interessar pelo seu trabalho e, acima de tudo, tenha paciência e procure não reclamar demais. Não há nada mais insuportável que aspirante a roteirista achando que o mundo lhes deve alguma coisa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.