Sororidade

Gabriela Araujo
De dentro para fora
2 min readApr 24, 2020

--

Fonte: nappy.co

Sinto tua dor

Irmã

porque ela se repete

tantas vezes

que parece uma ferida

que se recusa a cicatrizar.

Sinto tua dor

Irmã

porque os tombos que levas

pelos empurrões dos outros

pelas palavras dos outros

pelas ações dos outros

ralam também

os meus joelhos.

Sinto tua dor

Irmã

porque tuas lágrimas

clamam pelas minhas

porque teu grito

ecoa em minhas paredes

porque teu pedido

não atendido

se assemelha com o meu.

Sinto tua dor

Irmã

porque ela brilha

tão forte

que é capaz de cegar.

Sinto tua dor

Irmã

porque ela é forte

mas sabe se anular

quando é causada

por alguém que mora

dentro de você.

Sinto tua dor

Irmã

porque ela ensina

a transformar pedra em flor

ódio em amor

tapa em beijo

lágrima em sorriso

opressão em luta.

Sinto tua dor

Irmã

porque finalmente

tu a tornastes pública

tu a tornastes viva

tu a tornastes nossa.

Sinto tua dor

Irmã

porque se cortam tua carne

a minha também sangra

se tapam tua boca

meus olhos também berram

se estupram teus direitos

eu também me imponho

se desrespeitam tua voz

eu te empresto a minha

se violam o teu corpo

o meu também é marcado

se vigiam teu rebolado

eu danço contigo

se condenam tua saia

eu visto a mesma

se criticam tuas escolhas

eu as aplaudo de pé

se lhe derrubarem

eu lhe dou a mão

se lhe chutarem

cairei e levantarei contigo

se lhe matarem

em nós você renascerá.

--

--

Gabriela Araujo
De dentro para fora

Autora do livro Quando sentir, escreva, criadora do Negra em Movimento e Turismóloga. Escrevo para que as pessoas reconheçam o que já existe nelas.