Como oxigenar as operações de empresas incubadas? Ebook grátis!

photo-1414085496041-6d10400b671f (1)

Seja qual for o ambiente de inovação — incubadora, coworking, aceleradora, venture builder etc. -, empreender, especialmente no Brasil, é difícil. Quando se trata de empresas nascentes de base tecnológica, mais difícil fica — o desenvolvimento do produto exige pesquisa e tecnologia, a cadeia de valor e fornecimento é complexa, as demandas comerciais brigam por espaços na agenda com as demandas da produção e é muito fácil se perder, ou pior, desanimar. Os ambientes de incubação, de um modo geral, tem como um de seus pilares esse tipo de suporte — que vem com mentorias, suporte especializado e intercâmbio de conhecimento com profissionais diversos que podem ajudar nos dilemas cotidianos, mas ainda assim a responsabilidade dos empreendedores de empresas incubadas é fundamental — e muitos deles acabam perdendo o alinhamento com a equipe fundadora, tendo problemas para manter as operações rodando de maneira produtiva e motivadora, não conseguindo dialogar com o mercado de maneira eficaz para gerar comercialização e muitas empresas incubadas acabam caindo no poço das empresas zumbis. Nós, da Wylinka, não queremos ver isso nos ambientes com os quais atuamos — e, para isso, sempre nos questionamos ao desenvolver produtos melhores: como oxigenar as operações de empresas incubadas? Vamos a algumas boas respostas que encontramos no caminho.

Google Design Sprint

Com o objetivo de alavancar empresas em uma experiência de 5 dias, o laboratório de desenvolvimento de negócios da Google, o Google Ventures, desenvolveu um modelo centrado em experimentação que junta conceitos de Design Thinking e Lean Startup para melhorar os produtos e intensificar a relação com o mercado. O Design Sprint pode ser uma experiência interessante para empresas incubadas saírem do caos de operações por 5 dias para revisitar seus produtos e estratégias, se dividindo da seguinte maneira:

1º Dia — Foco em Compreender: mergulhar no problema e no usuário, investigar tudo sobre o que está se pensando em construir. Verificar o que há no mercado, o que há de análogo etc. Tentar mergulhar ao máximo no ecossistema do seu negócio.
2º Dia — Foco em Divergir: imaginar todo o tipo de solução possível e imaginável nesse dia. Sem críticas, sem podar nada — é um exercício de brainstorming, o não é proibido. Explorar o máximo de soluções, de layout do produto/plataforma, de clientes etc. É o dia em que se sai da caixa e testa possibilidades. Pensou as diversas possibilidades? Pense em pequenos testes — mandar emails para clientes com propostas não antes usadas, testar a viabilidade técnica de outras soluções, conversar com pessoas estratégicas apresentando as novas ideias etc. Dedique a parte da manhã para imaginar soluções e fazer os exercícios possíveis de serem feitos dentro do escritório (emails, ligações e testes técnicos). Na parte da tarde, saia do escritório para conversar com clientes, mentores, colegas, fornecedores apresentando as ideias malucas que saíram na parte da manhã.
3º Dia — Foco em Priorizar e Decidir: coletar e apresentar todo o material gerado no dia anterior. Discuta os números, os aprendizados, os feedbacks — tente anotar o máximo de insights possíveis juntando o que foi compilado tanto no primeiro quanto no segundo dia. Agora é momento de priorizar. Tente agrupar os feedbacks e aprendizados em grandes temas e soluções, veja o que é melhor e seja altamente rígido com priorização — resolver o problema do cliente com algo sólido é melhor que viver no mundo da lua com mil ideias. Priorize e decida o que vale a pena ser feito, pois o próximo dia é de prototipagem.
4º Dia — Foco em Prototipar: hora de mergulhar no produto, de transformar o dia anterior em algo concreto — mesmo que de baixa fidelidade. Construir algo é interessante para compreender as limitações técnicas, as necessidades de elementos complementares e direcionar esforços para aprender com a mão na massa. Com o protótipo feito, reserve algumas horas do dia para trazer colegas de outras empresas ou pesquisadores para dar feedbacks e sugestões ao que foi construído.
5º — Foco em Validar: Com o protótipo em mãos, desenhe as hipóteses que pretende aprender, reflita sobre o que pode aprender com tudo isso e apresente para potenciais clientes e parceiros, especialmente aqueles com quem você conversou no segundo dia. Peça por feedbacks, pergunte — “o que falta para esse produto/serviço ficar nota 10?” (geralmente isso deixa a pessoa mais desinibida para falar o que ela melhoraria, pois não soa negativo). Anote todos os aprendizados. No fim do quinto dia, compile esses aprendizados, faça uma sessão de reflexão com a equipe e planeje a rota para os próximos meses.

Reflexão sobre operações

Já falamos aqui: problemas em operações podem levar sua empresa ao inferno. Para isso, vale a pena se inspirar no modelo Spotify para criação de uma cultura de engenharia e execução saudável, motivante, autônoma e altamente produtiva:

[embed]https://youtu.be/Mpsn3WaI_4k[/embed]

Ebook Impulsionando Negócios Inovadores:

A Wylinka, junto com SEBRAE, Rede Mineira de Inovação (RMI) e Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado de Minas Gerais (SECTES-MG), fez um trabalho com mais de 100 empresas incubadas e dezenas de incubadoras do Estado — o programa BloomBTech! Recentemente produzimos um ebook para que outras incubadoras e empresas incubadas possam se apropriar de toda a jornada que implementamos para oxigenar as empresas. No livro explicamos os diversos passos feitos no BloomBTech para um exercício de desenho estratégico de empresas incubadas, de modo a guiar e oferecer conteúdos ricos que possam ajudar na estratégia, na gestão das operações, nos esforços comerciais e na motivação da equipe. Tivemos resultados super legais, como empresas incubadas avançando na prospecção de clientes, redesenho estratégico de grandes projetos, organização de portifólios de base tecnológica e muito mais — no ebook você também irá poder conhecer alguns cases =)

O download grátis pode ser feito aqui: http://eepurl.com/b-O6nf

Esperamos que tenham gostado!
Because when you rock, wyrock!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.