Bolsonaro continua estratégia de campanha para “testar” polêmicas

Após ganho eleitoral, o novo presidente continua com as estratégias de marketing para se promover devido seu alto índice de rejeição.

Por Liza Benedetti

Sua estratégia se da em distorcer e confundir a população, primeiro com notícias polêmicas como fundir e fechar ministérios, assim alvoroçando a oposição que o crítica incessantemente, e quando ele se pronuncia, ele desmente. (Conhecido como firehosing utilizado por Donald Trump e Vladimir Putin)

Essa estratégia deixa a oposição a entender que ela faz diferença nas tomadas de decisões, e o seu eleitorado começa a aumentar e ficar cada vez mais fiel, pois a eles a oposição exagera já que ele desmente tudo e volta atrás.

“Ele não falou isso”, “não é bem assim”, “ mimimi” — são frases rotineiras pra quem debate e se opõe a presidência de Jair. Frases que só tenderam a aumentar enquanto a oposição agir pela emoção e exagero.

Sim, exagero, por que o presidente ainda não fez algo de concreto, tudo está em volta de suposições do que ele fará, do que ele vai ser, afim de querer fazer previsões apenas pra dizer “eu avisei”. E se ele não fazer isso no seu primeiro mandato? Mais uma vez sua oposição torna a perder a razão e coerência, e se tornará fraca. É muito cômodo um candidato entrar na posse com as pessoas esperando o pior dele, por que o mínimo que ele fizer ou digo mais, o que ele não fizer já será celebrado por seus convictos e aumentará para seu lado os duvidosos.

Se engana quem acha que no mundo globalizado com tecnologia, a ditadura venha rápida por força armada, ainda mais quando tantos adeptos, quanto oposição se deixam levar facilmente pelas manipulações em massa por algoritmos e coleta dos dados.

A população está descrente em todos os órgãos governamentais, todas instituições e por parte com suas razões, em vez de criticar os atos do presidente, o foco deve ser no por que essas instituições são benéficas a população, a importância de ministérios, e pesquisas inteligentes afim de contornar a cortina de fumaça.

Enquanto debatemos ministério X, Y, o senado aprova aumento salarial a juízes, vamos nos ater ao fatos, e as dúvidas desmentir de forma inteligente, e convencer as pessoas das qualidades das instituições.