Governo publica nota afirmando que não irá permitir protesto no domingo

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo afirma que por conta da passagem da tocha paraolímpica na região da Avenida Paulista, o protesto convocado pela Frente Povo Sem Medo não será permitido. Até o momento, três manifestações seguidas contra Michel Temer sacudiram a cidade.


Depois de reprimir de forma violenta três protestos seguidos em São Paulo, a Secretaria de Segurança Pública publicou em nota oficial que não irá permitir a realização de uma manifestação no domingo, na Avenida Paulista.

O ato, convocado pela Frente Povo Sem Medo, foi marcado para as 14 horas no vão livre do Masp, e já conta com a confirmação de 25 mil pessoas no evento do Facebook.

A primeira manifestação que começou a onda de revolta em São Paulo foi organizada justamente pela Frente Povo Sem Medo, na segunda-feira (29) na Avenida Paulista. Após a PM bloquear a passagem dos manifestantes em direção ao prédio da Fiesp, policiais agrediram e dispararam gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral contra o protesto.

A partir dai, pelo menos mais duas manifestações ocorreram — todas sem a organização da Frente Povo Sem Medo, convocadas nas redes sociais. Todas aconteceram com concentração na Avenida Paulista, e terminaram com mais repressão policial.

Hoje (01), a quarta manifestação ocorre com concentração no vão livre do Masp.

Porém, a nota divulgada pela SSP já afirma que nenhum dos organizadores entrou em contato com a Polícia Militar, informando trajeto, horário ou local de concentração. Portanto, segundo a nota, trata-se de um ato “inconstitucional”.

Essa mesma norma já havia sido adotada no começo deste ano pelo ex-secretário e atual ministro Alexandre de Moraes, em relação aos protestos do Movimento Passe Livre, que foram brutalmente reprimidos no mês de janeiro. Porém, a mesma lógica não foi replicada nos protestos a favor do impeachment no mês de março, quando manifestantes chegaram a bloquear trechos da Avenida Paulista por mais de 48 horas.

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Leia a nota completa divulgada pela SSP:

“Diante da ocorrência de protestos violentos, com atos de vandalismo, ocorridos ontem, a Secretaria de Segurança Pública reuniu nesta quinta-feira, 1 de setembro, os comandos das Polícias Civil e Militar e vem a público reafirmar que respeita o direito de manifestação e está empenhada em garantir a segurança dos manifestantes.
Ressalta ainda que, conforme determina a Constituição, é obrigatória a comunicação de hora, local e trajeto em que se realizarão os atos públicos. Para que sejam preservados os direitos das pessoas que não participam das manifestações e garantida a ordem pública, será evitado o fechamento das vias importantes da cidade. A SSP informa ainda que até o momento não recebeu qualquer comunicado oficial de movimentos organizados dando ciência da realização de manifestações públicas nos próximos dias.
Por fim, a secretaria alerta que, no domingo, não será permitida a realização de atos na Avenida Paulista, pois toda a extensão da avenida estará reservada para o evento de passagem da tocha paraolímpica, que integra a cerimônia oficial dos Jogos Paraolímpicos Rio 2016.”