Campanha de José Serra em 2010 já desejava o impeachment de Dilma Rousseff

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Na campanha para a presidência em 2010, um vídeo de teor sensacionalista rodou pelas redes sociais, sendo lançado por blogs de apoio ao então candidato José Serra. Com uma produção totalmente manipuladora, o vídeo só acertou em um aspecto: o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, de fato, aconteceu.

A campanha para a presidência do Brasil em 2010 ficou marcada por uma verdadeira polarização e radicalização de ambos os lados — pelo menos na teoria.

Logo que Dilma Rousseff foi oficializada como a candidata do Partido dos Trabalhadores para o lugar do então presidente Lula, não demorou muito para que uma verdadeira propaganda negativa contra a ex-ministra formasse corpo.

A primeira ‘arma’ da campanha do então candidato tucano, José Serra, foi a questão do aborto.

Depois, a campanha explorou nos bastidores a participação de Dilma na luta armada contra a ditadura militar, utilizando os blogs de apoio ao tucano para espalhar notícias sensacionalistas nas redes sociais — como o boato de que Dilma teria “assaltado bancos” e “assassinado civis e militares” durante o tempo de resistência contra a ditadura.

Não vingou.

Até que surgiu um vídeo, faltando poucas semanas para as eleições.

O título era “Dilma 2012 — O fim está próximo”. O vídeo foi divulgado pelo blog “Vou de Serra”, que chegou a ser usado pela própria campanha do tucano, que na época era administrada pela ex-vereadora do PPS, Soninha Francine.

Com um conteúdo completamente sensacionalista, o vídeo tentou explorar a ideia de que um governo liderado por Dilma Rousseff seria implacável contra a oposição, chegando a supor uma possível prisão de José Serra em 2011 — seguida posteriormente de exílio nos Estados Unidos. Outros pontos, que chegam a beirar o rídiculo, também são citados: perseguição contra a Igreja Católica, aliança militar com a Venezuela, cassação de mandatos da oposição, ordens de prisão de Dilma contra Lula (?) e afins.

A única coisa que o vídeo acertou foi o final. Com a data errada, mas com o roteiro basicamente acertado: o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, aprovado pela Câmara dos Deputados e com apoio do vice-presidente Michel Temer (PMDB).

Veja abaixo:

Na época, em 2010, o vídeo gerou enorme polêmica.

Em um programa da TV Globo, representantes dos dois candidatos chegaram a discutir sobre o vídeo e também a onda de rumores e boatos sensacionalistas na campanha do então candidato José Serra:


Parece que o impeachment da presidenta Dilma Rousseff já era um objetivo dos quadros políticos do PSDB antes mesmo dela assumir em 2011, após sua primeira vitória nas urnas.