Caso eu não pare de sofrer, preciso sofrer sozinha

Preciso parar de pedir desculpas. Preciso me superar e me renovar a cada queda ou vou acabar como sempre, me perdendo em minha própria bola de neve. Preciso aprender a chorar sozinha, debaixo do chuveiro ou com a cabeça deitada em um travesseiro quente e fofo. As pessoas vão se comover com suas lágrimas e soluços nos primeiros minutos, apenas pelo fato de ser humano, ou nem isso. Mas quando o catarro escorre, a vermelhidão toma conta e a dor só faz doer mais, elas se vão. Sim, colega, as pessoas se vão. Já fizeram sua obrigação de passar a mão pelas costas e dizer que tudo ficará bem. Não posso esperar mais.

Preciso aprender a sorrir apenas quando me der vontade de sorrir. Meu espelho me intimida e não suporto meu reflexo nele, então porque tentar? Educação é bom e eu gosto, todos gostam mas me diz por que sorrir durante oito horas de trabalho consecutivas? Chega, basta não ser cruel. Inclusive comigo mesma.

Preciso aprender a respirar. Meu Deus, como eu ando não conseguindo respirar! É pouco ar para muito eu em crise, é minha nova teoria.

“Puxa pelo nariz e solta pela boca”, as vezes ajuda.

Preciso aprender o que é independência. Sério, não estou dizendo de trabalhar e pagar meus estudos. Estou falando da independência emocional. Afinal de contas, meu namorada tem os problemas dele e o máximo que vou sentir quando ele não conseguir resolver os meus ou se importar o bastante, é solidão. Então não.

Preciso pensar meus pensamentos confusos sozinha, a esperança de alguém compreender minhas loucas acaba machucando. A esperança vai me comendo pelas beiradas e agora ou eu dou um jeito, ou ela me pega de jeito.

Preciso me cuidar e parar de querer ser cuidada. Quanto menor a expectativa melhor, certo? Quanto maior a solidão, menor o medo dela chegar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.