Pare de orar!

O mundo carece de decisão. Não agitação, isso tem demais, mas de decisão que vira ação.

  • É João que passou a vida sonhando em ser arquiteto mas não teve disposição de lutar pelo que queria;
  • É Sônia que anseia por mudar de emprego mas não age em direção a isso, nem para de reclamar por estar onde está;
  • É Paulo que acha que o casamento tá complicado, mas não decide implementar pequenas e constantes mudanças para melhorar a relação;
  • É Júlia que tá atolada no cartão de crédito mas não tem "força" pra negar a vontade de estar de roupinha nova no Reveillon (vai que dá mesmo sorte para o novo ano né?);
  • É Jorge que gostaria de ter uma vida mais atenta às coisas espirituais mas não sente vontade alguma de orar ou de ler a Bíblia.

Existem duas palavrinhas que são bem distintas em significado: decisão e vontade.

Decisão é o ato ou efeito de decidir; determinação.

Vontade é o sentimento de desejo ou aspiração motivado por um apelo físico, fisiológico, psicológico ou moral; querer.

Muita coisa na vida a gente faz (ou deveria fazer) por decisão e não por vontade. Quem acredita na boa-vontade do coração humano pode até esperar pelo desejo sincero de fazer aquilo que se sabe que é pra fazer, no entanto quanto mais se espera, mais essa vontade genuina pode demorar a chegar pois "o coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?", como está escrito em Jeremias 17:9.

Essa contradição de se esperar pela vontade provoca coisas como: "Ah, meu coração tá mandando eu comprar esse batom, vou ficar mais feliz com ele. Vai chegar o dia em que não sentirei mais vontade comprar" ou "Não estou com a mínima vontade de ler a Bíblia, vou continuar assistindo pois sei que Deus quer que eu leia a sua Palavra com desejo sincero".

A decisão me levar a fazer o que é preciso ser feito sem, necessariamente, ser isso o que eu de fato queira fazer. Decisão leva à ação e ação dá trabalho. É ruim dizer não àquilo que você está querendo muito comprar ou comer ou ver na TV. É difícil dizer sim àquilo que você precisa fazer, seja uma conversa franca e muitas vezes, desconfortável, com o seu conjuge, pai, mãe, irmão, amigo, seja uma atitude prática em direção aonde se quer chegar: estudar depois de um dia de trabalho ou deixar as muitas distrações disponíveis em troca de um tempo a sós com Deus.

É bem verdade que é muito melhor, e principalmente em relação a Deus, que as coisas fluam de maneira sincera mas, devemos lembrar também que a decisão nos levar a mudar a nossa vontade.

Aristóteles sabiamente dizia:

“A virtude é uma arte obtida com o treinamento e o hábito”.
“Nós somos aquilo que fazemos repetidas vezes. A virtude, então, não é um ato, mas um hábito”.

O "Pare de orar!" do título desse texto é somente para aqueles que vivem orando e pedindo oração para que algo em suas vidas mude, mas vivem há meses ou anos na mesma situação por falta de decisão. A oração é uma benção, um ato lindo de falar e ouvir a voz de Deus, mas essa prática não nos exime de fazermos o que temos que fazer.

Que Deus nos dê força para agir.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.