Foco no objetivo! Não, obrigado.

Conquistar o objetivo! Esse era o verbo da missão! Vamos lá!

Todos nossos esforços devem ser para isso, para atingirmos as metas, para cumprir nossos planos e schedules da semana!

Hoje eu não sofro mais com ter que atingir um objetivo.

Significa que não tenho objetivos na vida? Que estou deixando a vida me levar? Que perdi o prazer e a motivação em viver?

Na verdade o que ocorreu foi o contrário. Hoje, mais do que nunca, me sinto extremamente motivado para a vida. Não por ter um objetivo ou uma meta SMART, mas por me permitir viver.

Por desapegar aos padrões de sucesso.

Hoje eu tenho sucesso… ou melhor… sou sucesso.

Vou além, não depender do rótulo de bem sucedido é a chave do sucesso…

Os objetivos que tenho são guiados pela minha intuição… é difícil entender isso num sistema tão complexo como o que vivemos, mas é essencialmente simples.

Na verdade, acho que é, acima de tudo, uma questão cultural.

Imagine um CEO chegar para a sua diretoria na empresa e dizer: pessoal, tomei uma decisão hoje porque “intuí” que esse será o melhor caminho para nós!

Na hora ele provavelmente seria internado. Rsrs

E isso se torna óbvio porque não aprendemos nos bancos escolares a desenvolver essa habilidade tão natural, porém que foi sufocada pelo processo padrão e racional de ensino-aprendizagem.

Quando eu desapeguei de ter metas na minha vida ela se tornou muito mais bacana.

Isso não significa que eu não planeje e, dentro de um contexto, eu estipule alguns prazos, alguns checkpoints, isso vai facilitar o meu entendimento das coisas e torná-las exequíveis e realizáveis.

Agora, isso de maneira nenhuma pode me causar dor e sofrimento. Além disso, o meu foco está no momento presente, no Agora. No desenrolar das coisas…

O resultado será a consequência de todos os instantes que eu estive puramente ali. Estou me adaptando a isso, mas o prazer de se fazer assim é indescritível.

A minha motivação intrínseca é cíclica — como tudo na natureza, porém é constante.

Há momentos em que fico mais entusiasmado, outros um pouco menos, mas a motivação está lá, me acompanhando em cada auto e baixo da minha energia ao longo dos dias na direção que estou seguindo.

No que se refere a deixar a vida me levar, isso também é relativo. Eu acredito nas sincronicidades, ou seja, nas coincidências. Estar aberto para elas é fundamental.

Se eu olho para trás e vejo o que eu estava planejando há 6 meses atrás, pouco do que aconteceu comigo foi planejado. Apenas algumas ações específicas.

Falta de preparo? Planejamento ineficiente? Não, simplesmente me abri para o universo de infinitas possibilidades. Aí é onde a mágica acontece.

Conheci pessoas incríveis, escrevi textos que me orgulho muito e que fazem bem para as pessoas, tenho trabalhado mais do que nunca e muito feliz com isso tudo!

Esse é meu foco, sugar ao máximo de cada momento, independente se ele esteja na direção dos meus objetivos ou não.