Como começamos a estruturar UX Writing na Conta Azul com um guia de redação

Quando juntei-me ao time da Conta Azul como UX Writer, há alguns meses, minha principal contribuição era deixar nossos conteúdos ainda mais efetivos, além de contribuir com o alinhamento entre textos do produto e do Marketing. Mas logo percebemos que para começarmos a estruturar a área de Writing precisaríamos definir, antes de tudo, qual padrão seguiríamos. Surgiu, então, a ideia de confeccionarmos o Guia de Redação da Conta Azul.

Página inicial do Guia de Redação da Conta Azul (Imagem: arquivo)

Neste documento online, constariam não só definições sobre conteúdo para a nossa plataforma e os nossos recursos, como para todos os meios de comunicação utilizados na Conta Azul, como e-mail, site, redes sociais.

A intenção com a criação do guia, especialmente em relação à nossa equipe de Design, a Lumos, é permitir que os(as) UXs sejam cada vez mais independentes para produzirem conteúdo. Pois o manual deixa o processo de criação de microcópias (pequenos textos para produto) ainda mais escalável.

O objetivo é que os(as) designers acessem o guia antes de demandarem à equipe de Design Ops, uma equipe de apoio e consultoria (leia mais sobre o time de Design Ops aqui), a qual integro como especialista em UX Writing. Os textos finais ainda precisam passar pela nossa validação, mas, por meio da utilização frequente do guia, certamente chegarão até nós com um nível mais avançado de refinamento.

Imagem-conceito do Guia de Redação da Conta Azul (Imagem: arquivo)

Essa escalabilidade melhora não só a atuação dos(as) UXs, como a nossa, como equipe de DesOps. Ela permite que nos dediquemos a projetos paralelos como por exemplo, no meu caso, a revisão de legados de texto e a confecção de workshops sobre boas práticas de escrita para colaboradores(as) da Conta Azul.

Workshop de Boas Práticas de Escrita ministrado para designers da Lumos (Imagem: arquivo)

Antes do Guia de Redação da Conta Azul, nós já possuíamos uma série de guias independentes com referências a parte de conteúdo, como o UX Components, da Lumos, e o BrandBook, da equipe de Marketing, com diretrizes quanto ao nosso posicionamento de marca.

A intenção com o novo guia não é deixarmos de utilizar todos os outros materiais existentes mas, sim, abrangê-los, reforçar o que eles dizem. Nosso desejo é fazer com que as pessoas (especialmente as várias recém-chegadas à empresa) saibam da existência desses manuais e os utilizem amplamente.

A confecção do Guia de Redação da Conta Azul foi conjunta. Participaram o manager da Lumos, Victor Zanini, o UX Lead João Menezes — que revisou e validou textos de todos os capítulos do guia — e o UX Design System Harry Porto, que contribuiu com a parte visual e foi responsável por colocar o site do guia no ar.

Também colaboraram o UX Design Paulo Aguilera, sobretudo, com a revisão do capítulo dedicado à acessibilidade e o time de Marketing, que compartilhou estudos e contribuiu com sugestões para aproximarmos a criação de conteúdo para o Marketing e para o produto.

Abaixo, comento o passo a passo do processo de confecção deste material:

Captação de referências

Antes de começarmos a escrever pesquisamos muito! Estudamos vários guias de estilo considerados referências, entre os principais o Guia de Conteúdo do MailChimp e Guia de estilo de documentação do desenvolvedor do Google.

A contribuição desses materiais (que são abertos à comunidade) foi tamanha para confeccionarmos o nosso manual que dedicamos um capítulo inteiramente para agradecer os(as) profissionais que os criaram e disponibilizaram, intitulado “Nossas inspirações”.

Capítulo “Nossas inspirações” do Guia de Redação da Conta Azul (Imagem: aquivo)

Estamos tratando nosso guia como um produto, que ainda está na primeira versão, sendo testado pelos(as) designers da Conta Azul. Mas nossa intenção é disponibilizá-lo para os(as) demais colaboradores(as) da empresa e para profissionais de Design e de produto de todo o Brasil e do mundo, a fim de também ajudá-los(as) a confeccionarem seus próprios manuais de comunicação.

Estrutura dos capítulos

Após pesquisarmos, era hora de estruturamos nosso guia. O conteúdo foi separado em 18 capítulos, divididos em nove seções temáticas. Entendemos que seguir este padrão de organização em seções — já utilizado pelo Magi.CA, nosso Design System ou manual para definições de interface — ajudará as pessoas da Conta Azul a encontrarem com mais facilidade o que procuram dentro do guia.

Na seção Conteúdo, por exemplo, está o core do guia, que são os capítulos de Produto, Gramática, Tradução e Lista de Palavras. As pessoas da Conta Azul podem acessar o conteúdo disponível em cada capítulo simplesmente clicando sobre ele, ou digitando palavras-chave na lupa de busca disponível na página inicial do site.

Escrevendo os capítulos

Cada capítulo traz a nossa visão em relação a determinado assunto referente a nossa comunicação. Nos preocupamos em colocar muitos exemplos após as definições, referentes ao que é recomendável em termos de escrita e de comunicação e ao que não é. Esses exemplos refletem o que realmente fazemos e utilizamos ao nos comunicarmos com nossos(as) clientes no dia a dia.

Exemplos do capítulo “Escrevendo para Produtos”, sobre como nos referimos à Conta Azul

Nos momentos em que foi necessário, para não nos estendermos muito discorrendo sobre assuntos que já foram tratados com mais profundidade em outros guias — como voz e tons, tema detalhado no BrandBook, e helper texts, disponível no Magi.CA — colocamos links diretos para esses materiais.

E como parte do nosso valor somos um time, em caso de dúvidas ou para dar sugestões, as pessoas da Conta Azul também podem contatar o time de Design Ops, pessoalmente ou por e-mail.

Validação e próximos passos

Atualmente, estamos na fase de validar o guia junto aos(às) UXs. Como ele foi liberado para consulta recentemente, estamos dando um tempo para que esses(as) profissionais possam consumir o conteúdo do manual e nos dar feedbacks.

Lançamos uma pesquisa de satisfação e já começamos a receber alguns retornos, que estão estão sendo considerados e implementados gradualmente, de acordo com o nível de urgência. Também estamos fazendo testes de usabilidade com os(as) UXs, para identificar facilidades e dificuldades no processo de consulta ao material.

Estamos confeccionando, também, um plano de release, com prazos para pequenas melhorias a serem realizadas no guia. Uma das prioridades desse plano é ligarmos o conteúdo do Magi.CA ao do Guia de Redação da Conta Azul.

Desse modo, quando um(a) designer estiver procurando por um padrão de componente no Magi.CA, por exemplo, poderá verificar e relembrar, num mesmo material, sem precisar abrir outro manual, como criar conteúdo para aquele componente específico.

Bacana, né? Falando por mim, construir este guia foi uma experiência profissional marcante. Foi trabalhoso, exigiu atenção e revisão constantes. Mas a promessa é que a oficialização e a ampla utilização desses padrões facilitará muito a nossa rotina. Sou grata por poder participar de algo tão grandioso e que mudará a forma como lidamos com a geração de conteúdo aqui na Conta Azul.